Identidade de velhos: modos de identificação e discursos de resistência na velhice

Main Article Content

Sostenes Cezar de Lima
Priscilla Melo Ribeiro de Lima
Maria Luiza Monteiro Sales Coroa

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar os modos de resistência identitária presentes em discursos autobiográficos de sujeitos velhos. Concebemos as práticas de resistência identitária como formas de ação social através das quais padrões identitários hegemônicos são contestados em favor da promoção e valorização de novas formas de identificação. Os discursos de resistência identitária associados à velhice constituem um conjunto de atos discursivos por meio dos quais se contesta o modo como o velho é identificado, tendo a juventude como base identitária. Na esteira da resistência, são construídas para o velho novas formas de identificação e novas formas de estar-no-mundo próprias da velhice. A partir de um embasamento teórico assentado na Análise Crítica do Discurso (ADC) e na Psicanálise, buscamos mostrar nas crônicas autobiográficas de Rachel de Queiroz e Rubem Alves os discursos que constroem uma identificação dissidente para a velhice. Foram selecionadas seis crônicas, nas quais encontramos um discurso de resistência à identificação social da velhice como dócil, assexuada e decrépita. Além do aspecto crítico, os escritores se engajam num discurso que visa à transformação dos modos de identificação do velho, especialmente a identificação que reduz o velho a um indivíduo à espera da morte.

Article Details

Como Citar
Lima, S., Lima, P., & Coroa, M. L. (2016). Identidade de velhos: modos de identificação e discursos de resistência na velhice. Domínios De Lingu@gem, 10(3), 903-926. https://doi.org/10.14393/DL23-v10n3a2016-8
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Sostenes Cezar de Lima, Universidade Estadual de Goiás Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Linguagem, Educação e Tecnologias (PPG-IELT/UEG)

Doutorado em Linguistica pela Universidade de Brasília. Docente e coordenador do Programa de Pós-Graduação Interdiciplinar em Linguagem, Educação e Tecnologias (PPG-IELT, da Universidade Estadual de Goiás (UEG).

Priscilla Melo Ribeiro de Lima, Universidade Federal de Goiás Faculdade de Educação Programa de Pós-graduação em Psicologia

Doutorado em Psicologia Clínica e Cultura pela Universidade de Brasília.

Professora adjunta da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás. Docente do Programa de Pós-graduação em Psicologia (PPGP-UFG). Coordena o Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Velhice (GEPEV).

Maria Luiza Monteiro Sales Coroa, Universidade de Brasília Programa de Pó-graduação em Linguistica

Doutorado em Lingüística pela Universidade Estadual de Campinas. Professora adjunta do Instituto de Letras da Universidade de Brasília. Docente e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Linguistica (PPGL/UnB.