Sobre a construção de um recurso léxico de elementos nominais agentivos e de ação para o processamento computacional do Português Brasileiro

Andrea Feitosa Santos, Carlos Eduardo Atencio Torres, Hélio Leonam Barroso Silva

Resumo


O principal objetivo deste trabalho é descrever o processo de elaboração de um léxico computacional de elementos nominais agentivos e de ação do Português Brasileiro, construído principalmente para contribuir com a expansão dos recursos léxicos existentes para esta língua. Busca-se, além disso, mostrar como a descrição das línguas encontra espaço dentro do Processamento de Linguagem Natural fazendo uso das Tecnologias de Estados Finitos. O léxico abrange os seguintes aspectos da derivação dos chamados falsos aumentativos: (i) formação sufixal com –ão de nomes agentivos; (ii) formação sufixal com –ão de adjetivos agentivos; (iii) formação sufixal com –ão de nomes de ação. Para derivar os diferentes sentidos presentes nestes três contextos, constatados no português padrão, argumentamos a favor de uma derivação para o sufixo –ão em que este associa-se a uma base verbal. Assim, o léxico foi criado com um duplo objetivo: fornecer subsídios linguísticos para uma aplicação do Processamento de Linguagem Natural e contribuir com a caracterização de elementos nominais agentivos e de ação da língua portuguesa.

Palavras-chave


Léxico computacional; Transdutores de estados finitos; Análise morfológica; Análise derivacional.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14393/DL19-v9n3a2015-8

Direitos autorais 2015 Andrea Feitosa Santos, Carlos Eduardo Atencio Torres, Hélio Leonam Barroso Silva

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional..

 

ISSN: 1980-5799.


Associada às seguintes bases de dados e diretórios: MLA, Latindex, DOAJDiadorim, Sumários.org, JournalSeek, WorldCat, Periódicos CAPES, BASE, CIRC, ERIPlus, EZ3, Google Acadêmico, SIS e ao Livre.

Revista Qualis B1, área de Letras e Linguística, quadriênio 2013/16.

 

Associação Brasileira de Editores Científicos – ABECLogotipo do Crossref