Imigrante angolano e subjetividade em conflito: e(in)screver-se e resistir em blog

  • Thiago André Rodrigues Leite Universidade Federal de Uberlândia/MG
Palavras-chave: imigração, blog, escrita de si, resistência, subjetividade.

Resumo

Neste artigo, a questão da subjetividade do imigrante tem um lugar fundamental, em virtude de ela exercer e sofrer os efeitos de sua integração ao novo país ou ao lugar para onde se moveu e, por conseguinte, sua permanência nesse lugar ou sua volta ao lugar de origem. Interessa-nos a subjetividade do imigrante associada ao mundo virtual, visto que esse âmbito tem contribuído para a (re)configuração subjetiva. Na virtualidade, chamamos a atenção para os diários virtuais, blogs, os quais se configuram como um lugar de se narrar, de se mostrar. Acreditamos que algumas narrativas em blog se relacionem a um exercício de escrita de si, a qual é uma via para a construção da subjetividade, visto que essa escrita acontece a partir de narrativas de si. Estas narrativas podem indiciar um movimento de resistência. Nesse sentido, objetivamos verificar, a partir da análise de narrativas de um blog, como um imigrante angolano faz esse possível movimento de resistência. No entanto, para este artigo, escolhemos uma narrativa para discutir os possíveis indícios de resistência, materializados em elementos discursivos, que apontariam para os conflitos na subjetividade desse imigrante angolano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago André Rodrigues Leite, Universidade Federal de Uberlândia/MG

Mestre em Estudos Linguísticos pelo Programa de Pós-gradução em Estudos Linguísticos (PPGEL), da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Doutorando pelo mesmo Programa.

Publicado
2014-09-17
Como Citar
RODRIGUES LEITE, T. A. Imigrante angolano e subjetividade em conflito: e(in)screver-se e resistir em blog. Domínios de Lingu@gem, v. 8, n. 3, p. 46-64, 17 set. 2014.