Ser aprendiz em um ambiente virtual: perspectivas acerca da autonomia na aprendizagem de línguas

  • Cristiane Manzan Perine UFU
Palavras-chave: autonomia, crenças, língua inglesa, curso a distância

Resumo

Neste estudo, visitaremos algumas ideias sobre a aprendizagem de língua inglesa com foco em dois aspectos muito importantes: autonomia e crenças de aprendizes. Em nosso arcabouço teórico, entendemos crenças como formas de pensamento, interpretações da realidade socialmente definidas que servem de base para uma ação subsequente (MASTRELLA, 2002). A autonomia é vista como a capacidade para reflexão crítica, tomada de decisões e ação independente. Tal capacidade é refletida no modo como o aluno aprende e em como transfere o que aprende para contextos maiores (LITTLE, 1991). É nosso objetivo primordial investigar a inter-relação entre crenças e autonomia em um ambiente virtual de aprendizagem, e analisar de que modo as crenças relacionadas a aprender inglês a distância podem exercer impacto no desenvolvimento da autonomia do aprendiz e no processo de aprendizagem da língua. Participa desta pesquisa uma aluna do curso de Letras inscrita na disciplina eletiva "Inglês em Rede", em uma universidade federal no interior de Minas Gerais. Os dados foram coletados por meio de questionários, diários reflexivos, entrevista e acompanhamento da disciplina na plataforma Moodle.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiane Manzan Perine, UFU
Letras e Linguística
Publicado
2014-06-30
Como Citar
PERINE, C. M. Ser aprendiz em um ambiente virtual: perspectivas acerca da autonomia na aprendizagem de línguas. Domínios de Lingu@gem, v. 8, n. 1, p. 198-227, 30 jun. 2014.