A MOBILIZAÇÃO OPERÁRIA ANTICAPITALISTA NA REVOLUÇÃO DE 1974-75

  • Miguel Angel Pérez Suárez Instituto de História Contemporânea Universidade Nova de Lisboa

Resumo

Na sequência do golpe de Estado de 25 de Abril de 1974, mas com a marca do período precedente, verifica-se uma vaga grevista sem precedentes que coloca em causa a autoridade patronal nas empresas. O aprofundamento da crise revolucionária e a radicalização dos conflitos laborais nos meses seguintes colocam as estruturas surgidas no calor desses combates perante a necessidade de desempenhar um papel de direção das lutas nas empresas. Para além disso, vários projectos políticos consideram-nas formas precárias de um novo poder em potência, fazendo delas o seu campo de batalha.  Com os acontecimentos de 25-11-1975, porém, esses órgãos de empresa tenderão a converter-se em estruturas de representação dos trabalhadores equivalentes às existentes na Europa Ocidental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Miguel Angel Pérez Suárez, Instituto de História Contemporânea Universidade Nova de Lisboa
Investigador Integrado do Intituto de História Contemporânea na Universidade Nova de Lisboa
Publicado
2014-06-06