ANÁLISE DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DE COMPÓSITOS AVANÇADOS À BASE DE PÓS-REATIVOS COM HIBRIDIZAÇÃO DE MICROFIBRAS METÁLICAS E DE POLIPROPILENO

  • Bernardo Fonseca Tutikian Universidade do Vale do Rio dos Sinos, UNISINOS. Instituto Tecnológico de Desempenho, itt PERFORMANCE / Programa de Pós Graduação em Engenharia Civil.
  • Fernanda Pacheco Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Av. Unisinos, 950, São Leopoldo, Bairro Cristo Rey, CEP 93022-000.
  • Roberto Christ Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Av. Unisinos, 950, São Leopoldo, Bairro Cristo Rey, CEP 93022-000.

Resumo

A busca por materiais de maior qualidade é necessária para garantir a durabilidade e desempenho das construções, aumentado o conforto e condições de moradia para os usuários. Portanto, materiais inovadores com potencial para este fim estão sendo pesquisados. O compósito cimentíceo avançado a base de Concreto de Pós-Reativos (CPR) é resultado deste esforço, onde agregados graúdos são substituídos por agregados miúdos empacotados e com a incorporação de microfibras metálicas, reduzindo vazios, promovendo refinamento dos poros e aumentando a resistência à compressão, tração e ductilidade, quando comparado com os concretos convencionais. Este artigo analisou as propriedades físicas e mecânicas de compostos híbridos com microfibras metálicas e de polipropileno, com os valores de 100%, 75% e 50% de fibras metálicas e 0%, 25% e 50% de fibras de polipropileno, além da mistura referência, sem fibras. O comportamento das misturas foi avaliado em função da massa específica, absorção total e volume de vazios, resistência à compressão e tração na flexão e resistência à abrasão, além da análise da microscopia eletrônica de varredura (MEV). Os resultados mostraram que as propriedades mecânicas aumentaram com a hibridização das fibras. Quando comparados os diferentes percentuais de microfibras, concluiu-se que o CPR 100/0 apresentou os melhores resultados nos ensaios mecânicos. Com relação ao desempenho das misturas nos ensaios físicos, o CPR 75/25 apresentou uma redução de vazios e aumento da massa específica, e menos defeitos após o ensaio de abrasão, devido à homogeneidade e densidade superficial. Palavras-chave: microfibras, compósitos cimentíceos avançados, durabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bernardo Fonseca Tutikian, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, UNISINOS. Instituto Tecnológico de Desempenho, itt PERFORMANCE / Programa de Pós Graduação em Engenharia Civil.
Prof. Dr. curso de engenharia civil, coordenador do ITT Performance, atua nas áreas de tecnologia de concreto, corrosão, desempenho e patologia das construções.
Fernanda Pacheco, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Av. Unisinos, 950, São Leopoldo, Bairro Cristo Rey, CEP 93022-000.
Pesquisadora Mestre do itt Performance da Unisinos.
Roberto Christ, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Av. Unisinos, 950, São Leopoldo, Bairro Cristo Rey, CEP 93022-000.
Professor Mestre da Unisinos Gerente técnico do itt Performance
Publicado
2016-09-09
Seção
Engenharia Civil