ESTUDO DE MISTURAS AREIA-ASFALTO COM AREIA DE RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO, FIBRA DO AÇAÍ E POLÍMEROS PARA A CIDADE DE MANAUS, AM

  • Patricia de Magalhães Aragão Valença Universidade Federal do Amazonas
  • Consuelo Alves da Frota Universidade Federal do Amazonas
  • Rayglon Alencar Bertoldo Universidade Federal do Amazonas
  • Tayana Mara Freitas da Cunha Universidade Federal do Amazonas

Resumo

Os pavimentos da capital do estado Amazonas, situada na região Norte do Brasil, particularizam-se com patologias precoces devido às peculiaridades geotécnicas da região, ocasionando execução de camadas de base e sub-base com material argiloso e revestimento do tipo areia-asfalto. Por outro lado a região Amazônica é a maior produtora do fruto do açaí (Euterpe Oleracea), que contém semente recoberta de tufos fibrosos representando cerca de 90 % do fruto, cujas fibras serão aqui utilizadas em compósitos asfálticos. Pertinente ao ligante betuminoso aferiu-se a modificação pela inclusão dos copolímeros de etileno e acetato de vinila (EVA) e de estireno e butadieno (SBS). Neste contexto, o trabalho analisou o comportamento mecânico de misturas areia-asfalto (AAUQ) com inserção da fibra do açaí, uso de asfalto-polímero e emprego de duas areias, uma residual (Areia Manaus) e outra oriunda de Resíduos sólidos de Construção e Demolição (areia RCD), objetivando viabilizar o uso de materiais da região como alternativa técnica às vias urbanas. Pelos resultados conclui-se: a fibra do açaí atuou preenchendo vazios, o polímero EVA elevou o valor de módulo de resiliência, o polímero SBS aumentou a resistência à tração e a areia RCD proporcionou altos valores de resistência à tração e módulo de resiliência. Palavras-chave: areia-asfalto, fibra do açaí, polímero EVA, polímero SBS. ABSTRACT The pavements of the capital of Amazonas state, located in northern Brazil, particularize with early pathologies due to the geotechnical peculiarities of region, which cause the execution of the base and sub-base layers with clay material and sand asphalt. On the other hand the Amazon region is the largest producer of the fruit of açaí (Euterpe Oleracea), which contains seeds covered with fibrous tufts representing 90 % of the fruit, whose fibers will be used here in asphalt composite. Pertaining to the asphalt binder is measured at its modification by inclusion of copolymers of Ethylene and Vinyl Acetate (EVA) and of Styrene Butadiene (SBS). In this context, the study in question analyzed at the mechanical behavior of sand-asphalt mixtures with insertion of fiber of acai, use of asphalt-polymer and use of two sands, a residual (Manaus sand) and other originating from Waste Construction and Demolition (WCD sand), aiming to enable the use of materials of the region as technical alternative to urban roads. The results concluded: the fiber of açaí acted filling voids, the EVA polymer increased value of resilient modulus, the SBS polymer increased tensile strength, and the WCD sand presented high values of tensile strength and modulus of resilience. Keywords: sand-asphalt, açaí fiber, EVA polymer, SBS polymer.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia de Magalhães Aragão Valença, Universidade Federal do Amazonas
Engenheira Civil, atualmente cursando mestrado no Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Recursos da Amazônia (PPG-ENGRAM), na linha de pesquisa Geotecnia, da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e membro do Grupo de Geotecnia da Universidade Federal do Amazonas (GEOTEC/UFAM).
Consuelo Alves da Frota, Universidade Federal do Amazonas
Engenheira Civil pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Mestra e Doutora em Geotecnia pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (USP) e Pós-Doutora pela Universidade do Tennessee (UT), Estados Unidos. Professora Associada da Faculdade de Tecnologia (FT) e Coordenadora do Grupo de Geotecnia da Universidade Federal do Amazonas (GEOTEC/UFAM).
Rayglon Alencar Bertoldo, Universidade Federal do Amazonas
Graduando
Tayana Mara Freitas da Cunha, Universidade Federal do Amazonas
Possui Bacharelado em Química pela UFAM (2006). Especialista em Gestão Ambiental Empresarial - UFAM (2010). Mestre em Engenharia de Recursos da Amazônia - UFAM (2011). Atualmente é doutoranda em Química Analítica - UFAM (2011).
Publicado
2012-05-04
Seção
Engenharia Civil