As reformas educacionais na década de 1920 no Brasil e as políticas de formação de professores primários

Main Article Content

Sueli Menezes Pereira

Resumo

O texto trata das reformas educacionais dos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul na década de 1920, tendo como foco as políticas de formação de professores primários no Brasil. Resultado de uma pesquisa histórica de caráter teórico-documental, tendo na legislação a fonte primária de análise, este trabalho tem por objetivo evidenciar os interesses mascarados do capital nas políticas de formação de professores primários na época. Os resultados evidenciam o conflito entre o novo e o existente, onde aí se identifica o foco de reflexão que nos permite compreender, nas questões educacionais, o papel do professor primário, a partir das tensões que se inserem na sua formação em nossa realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Pereira, S. M. (2020). As reformas educacionais na década de 1920 no Brasil e as políticas de formação de professores primários. Cadernos De História Da Educação, 19(1), 271-292. https://doi.org/10.14393/che-v19n1-2020-16
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Sueli Menezes Pereira, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM - Rio Grande do Sul - Brasil

http://orcid.org/0000-0003-0831-7494
http://lattes.cnpq.br/3883536502592508
sueli.ufsm@gmail.com

Referências

ANTUNHA, Heládio César Gonçalves. A instrução pública no Estado de São Paulo: a Reforma de 1920. São Paulo: Faculdade de Educação, FEUSP. (Estudos e Documentos, 12), 1976.

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DO BRASIL DO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA (s.n). História da Educação no Brasil. Período Primeira República (1920-1929). Disponível em . Acesso em 20 de janeiro de 2014.

BASBAUM, Leôncio. História sincera da República- de 1889 a 1930. São Paulo: Alfa-Omega, 1976.

BOLETIM DA ABE. Ano II, n. 6, julho de 1927. p. 1. Disponível em http://www.museudavida.fiocruz.br/brasiliana/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=2&sid=15 Acesso em 25 de janeiro de 2014.

BUSATO, Ida Zanir Leite. Alegrete, o ensino e sua história. Alegrete/RS: AGE, 1983.

CARVALHO, Marta Maria Chagas de. Molde nacional e fôrma cívica. Tese de Doutorado. São Paulo: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 1986.

CARONE, Edgar. A república nova (1930-1937). São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1974.

CHAUÍ, Marilena de Souza M. O que é ideologia? São Paulo: Brasiliense, 1980.

CUNHA, Luiz Antônio. A universidade temporã. Rio de Janeiro: Francisco Alves,1986.

CUNHA, Célio da. Educação e autoritarismo no Estado Novo. São Paulo: Cortez, 1989.

DECCA, Edgar Salvadori. 1930: o silencio dos vencidos. São Paulo. Brasiliense. 1981.

HARDMAN, Francisco Foot. Trem fantasma: a modernidade na selva. São Paulo: Companhia das Letras, 1988

HILL, David. O neoliberalismo global, a resistência e a deformação da educação. In [S.I] Currículo sem Fronteiras, v.3, n.2. pp. 24-59. jul/dez, 2003. Disponível em . Acesso em 15 de março de 2015.

MARCUSE, Herbert. Razão e Revolução. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978

MARX, KARL. Contribuição à crítica da economia política. Tradução e Introdução de Florestan Fernandes. 2ª edição. São Paulo: Editora Expressão Popular, 2008.

MELLO, João Manuel Cardoso. O Capitalismo tardio. 21982.ª ed. São Paulo, Brasiliense.1982

MORAES, Maria Célia M. de. A via brasileira para o capitalismo: correlações de força e interesses fragmentados. (Relatório de Pesquisa, 1992). Niterói: Universidade Federal Fluminense,1992.

MORAES, José Geraldo. Cidade e Cultura Urbana na Primeira República. São Paulo: Atual, 1994.

NAGLE, Jorge. Educação e sociedade na Primeira República. São Paulo: EPU- Rio de Janeiro, MEC,1974.

OLIVEIRA, Lucia Lippi de. A questão nacional na Primeira República. São Paulo: Brasiliense; Brasília: CNPq, 1990
PESAVENTO, Sandra Jatahy. História do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1985.

PRADO Junior, Caio. A Historia Econômica do Brasil. São Paulo. Brasiliense 2012.

REIS FILHO, Casemiro. A educação e a ilusão liberal. São Paulo: Cortez, 1981.

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. São Paulo: Cortez, 1984.

SAVIANI, Dermeval. História Das Ideias Pedagógicas No Brasil. São Paulo: Autores Associados, 2008

SERVA, Mário Pinto. A União e a educação Nacional. I Conferencia nacional de Educação. Tese nº 103, Curitiba. I Conferência Nacional de Educação, Curitiba, 1927. pp. 642-648. Disponível em file:///J:/I%20CONFERENCIA%20NACIONAL%20DE%20EDUCA%C3%87%C3%83O%201927.pdf. Acesso em março de 2015.

SERVA, Mário Pinto. A dinâmica da Educação Nacional. Revista Nacional de Educação. Rio de Janeiro: Ministério de Educação e Saúde Pública, n. 9, Junho, 1933.

SEVCENKO, Nicolau. Orfeu extático na metrópole. São Paulo, sociedade e cultura nos frementes anos 20. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

SODRÉ, Nelson Werneck. Síntese da história da cultura brasileira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1977.

Legislação

BRASIL. Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil (24 de fevereiro de 1891) in Barreto, C. E.(org.). Constituições do Brasil, vol I, São Paulo: Edição Saraiva, 1971, pp. 104 – 171.

BRASIL, MEC. Decreto Lei nº. 7.566 de 23 de Setembro de 1909. Disponível em < http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf3/decreto_7566_1909.pdf> Acesso em 20 de setembro de 2017.

MINAS GERAIS. Decreto n. 8.162 – de 20 de janeiro de 1928 – Aprova o regulamento do ensino nas Escolas Normais. Minas Gerais. Diário Oficial. Órgão Oficial dos Poderes do Estado. Ano XXXVII, n. 37, 1928.

MINAS GERAIS. Decreto 8.225 de 11 de fevereiro de 1928. Aprova os programas do ensino normal. Minas Gerais. Diário Oficial. Órgão Oficial dos Poderes do Estado. Ano XXXVII, n. 37, 1928.

RIO GRANDE DO SUL. Decreto n. 4277 de 13 de março de 1929 – regulamento do Ensino Normal do Estado do Rio Grande do Sul. Publicação da Secretaria do Interior. Porto Alegre: Oficinas Gráficas da Federação, 1929.

RIO GRANDE DO SUL. Decreto 3.898 de 4 de outubro de 1927. Expede novo regulamento da instrução pública. Palácio do Governo. Porto Alegre, 4/10/1927. Disponível em Acesso em 20 de setembro de 2016.

SÃO PAULO. Decreto n. 3.356 – de 31 de maio de 1921. Regulamenta a Lei 1750 de 8 de dezembro de 1920, que reforma a Instrução Pública. In Coleção das Leis e Decretos do Estado de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado, Tomo XXXI. 1921, pp.64-133.