A Sociedade de Instrução e Beneficência A Voz do Operário Outra forma de fazer política: a propósito da reforma dos serviços escolares (1924-1935)

Main Article Content

Filomena Bandeira

Resumo

Este artigo insere-se num projeto sobre Escolas e experiências de referência em Portugal no século XX e centra-se no estudo de uma instituição que desenvolve atividades educativas num quadro associativo e para as classes populares. Optámos por uma apresentação descritiva com a intenção de argumentar que a adoção e aplicação de um modelo educativo, inspirado na Educação Nova e conformado a um público específico, assentou numa estratégia sociopolítica, emergente das condições históricas do associativismo operário na primeira metade do século XX e da situação vivida no País com a crise da Primeira República, que desembocou no Estado Novo. No artigo explanamos o processo de reforma dos serviços escolares da Voz do Operário entre 1924-1935, não sem antes apresentarmos uma história sumária da Sociedade, desde o fim do século XIX até à década de 1950, com o objetivo de representar a associação na sua dimensão, atividade e significado social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Bandeira, F. (2020). A Sociedade de Instrução e Beneficência A Voz do Operário Outra forma de fazer política: a propósito da reforma dos serviços escolares (1924-1935) . Cadernos De História Da Educação, 19(1), 187-213. Recuperado de http://www.seer.ufu.br/index.php/che/article/view/52709
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Filomena Bandeira, Universidade Nova de Lisboa (Portugal)

https://orcid.org/0000-0002-3917-5743
filomenabandeira@sapo.pt

Referências

Arquivo Histórico-Social/Projeto MOSCA
http://mosca-servidor.xdi.uevora.pt/projecto/index.php?option=com_jumi&fileid=7&p=collections

Espólio Adelino Augusto Ferreira

Arquivo de História Social-ICS
Espólio Pinto Quartin

ANTT, Fundo da Sociedade de Instrução e Beneficência A Voz do Operário, disponível em https://digitarq.arquivos.pt/details?id=4641905, último acesso 30.04.2018.

Assembleia Geral, Atas da, 1917-1925, 1925-1928, 1932-1934, 1934-1935.
Biblioteca Infantil, 1937/1939.
Comissão de Pareceres, Atas da, 1926-1955.
Corpos Gerentes, Atas dos, 1928-1956.
Comissão Administrativa, Atas da, 1924-1925, 1925-1928, 1928-1930, 1930-1934, 1934-1937.
Domingos Cruz, espólio de [correspondência, décadas 1920-1950].
Livro de Autos e Ocorrências, 1931-1934.
Relatório apresentado pela Subcomissão de Instrução e Beneficência em Março de 1932.
Relatório do Chefe dos Serviços Escolares, Augusto Alberto Sanches, 18.08.1938.
Relatório e contas e parecer do Conselho Fiscal. Gerência de … 1934/35 a 1965.

FMS (Fundação Mário Soares. Casa Comum), disponível em http://casacomum.org/cc/arquivos

Fundo de Alberto Pedroso


Fontes impressas

Brocas, Manuel de Araújo. 1938. A Biblioteca de A Voz do Operário: 1888-1938. [S.l. : s.n.].

Cruz, Domingos da. 1947. O Ensino em Portugal. Alguns números e comentários em prol do ensino profissional. Lisboa: s.n.

Diário da Câmara dos Senhores Deputados, 1911-1921. http://debates.parlamento.pt/, último acesso em 22.02.2019.

Instituto Nacional de Estatística. 1945. VIII Recenseamento Geral da População no Continente e Ilhas Adjacentes em 12 de Dezembro de 1940. Lisboa: Imprensa Nacional.

Santos, Raúl Esteves dos. 1932 b. «A Voz do Operário, Grande Seara de Luz.» Almanaque Pensamento, 1:174-181.

Santos, Raúl Esteves dos. 1933 a. A Grande Epopeia dos Humildes. Lisboa: SIBVO.

Santos, Raúl Esteves dos. 1933 b. Três Anos na Grande Colmeia. Lisboa: edição do autor.

Santos, Raúl Esteves dos. 1936. Figuras Gradas da Voz do Operário. Lisboa: SIBVO.

Santos, Raúl Esteves dos 1938. «A história da Voz do Operário». Gazeta dos Caminhos de Ferro, 1204: 97-99.

Santos, Raúl Esteves dos 1947. O Ensino Técnico e Profissional sobre o Ponto de Vista Histórico. Lisboa: SIBVO.

Sociedade de Instrução e Beneficência A Voz do Operário. 1926. Estatutos e Regulamento Interno. Lisboa: Tip. De A Voz do Operário.

Sociedade de Instrução e Beneficência A Voz do Operário. 1931. Estatutos e Regulamento Interno. Lisboa: Tip. De A Voz do Operário.

Sociedade de Instrução e Beneficência A Voz do Operário. 1935. Programa Pedagógico, Bases Orgânicas das Associações Escolares e Regulamento dos Serviços Escolares. Lisboa: Tip. Privativa de A Voz do Operário.

Bibliografia

Bandeira, Filomena. 1994. «A Universidade Popular Portuguesa nos Anos 20. Os intelectuais e a educação do povo: entre a salvação da república e a revolução social». Tese de Mestrado. Universidade Nova de Lisboa. http://hdl.handle.net/10362/14306.

Baptista, Virgínia do Rosário, 2016. «As associações de socorros mútuos em Portugal (de finais do século XIX aos anos quarenta do século XX).». Em Espaços, Redes e Sociabilidades: Cultura e política no movimento associativo contemporâneo, coordenação de Joana Dias Pereira, Maria Alice Samara e Paula Godinho, 95-106. Lisboa: IHC.

Candeias, António. 2013. «Ensino livre.» In Dicionário de História da I República e do Republicanismo, coordenação de M. Fernanda Rollo, 1184-1188. Lisboa: Assembleia da República, vol. 1.

Candeias, António, António Nóvoa e Manuel Henrique Figueira. 1995. Sobre a Educação Nova: Cartas de Adolfo Lima a Álvaro Viana de Lemos (1923-1941). Lisboa: Educa.

Carvalho, David Luna. 2013. «Voz do Operário.» In Dicionário da I República e do Republicanismo, coordenação de Maria Fernando Rollo, 1142-1143. Lisboa: Assembleia da República, vol. 3.

Christen, Carole & Laurent Besse. 2017. «Retracer l’histoire de l’éducation populaire (1815-1945).» Histoire de l’éducation populaire – 1815-1945 – Perspectives françaises et internationales, dir. C. Christen & L. Besse, 11-32. Lille: Presses universitaires du Septentrion.
León, Antoine. 1983. Histoire de l’Éducation Populaire en France. Paris: Fernand Nathan.

Lopes, Ramiro José Ferreira, 1995. «Sociedade de Instrução e Beneficência: “A Voz do Operário”: uma associação representativa da classe dos manipuladores de tabaco, em particular, e da classe operária, em geral.» Tese de mestrado em Antropologia Cultural e Social da Cultura. Universidade Nova de Lisboa.

Lousada, Maria Alexandre. 2017. «O 'espírito de associação' em Portugal. Dinâmica social e legislação (1820-1926).» In Anarquismo, Trabalho e Sociedade. Livro de homenagem a João Freire, AA.VV, 97-119. Lisboa: Almedina.

Freire, João. 1992. Anarquistas e Operários. Lisboa: Edições Afrontamento.

Freire, João. 2012. Dicionário Histórico de Militantes Sociais, Grupos Libertários e Sindicatos Operários. Documento digital. Disponível em http://mosca-servidor.xdi.uevora.pt/projecto/index.php?option=com_content&view=article&id=33&Itemid=45

Freire, João e Maria Alexandre Lousada. 2013. Roteiros da Memória Urbana – Lisboa: marcas deixadas por libertários e afins ao longo do século XX. Lisboa: Colibri.

Folgado, Deolinda (coord.). 2016. Norte Júnior - Itinerários 1905 – 1929. Direção-Geral do Património Cultural, http://www.patrimoniocultural.gov.pt/pt/patrimonio/itinerarios/norte-junior-itinerarios-1905-1929, consultado em 22.02.2019.

Franco, Alfredo. 2018. A Voz do Operário. Sociedade de Instrução e Beneficência A Voz do Operário - 135 anos. Lisboa: Althum.

Galhordas, Maria Emília e Carlos Damas. 1992. Tradição Centenária a Par com o Nosso Tempo: contribuição para a história da "Voz Do Operário". Lisboa: Voz do Operário.

Galvão, Andreia e José Ribeiro Mendes. 2011. «Filantropia e Arquitectura: da 1ª República ao Estado Novo (1880-1920).» Revista Arquitectura Lusíada, 2 (1.º semestre): 19-32.

Martín López, David. 2014. La estética masónica en Lisboa: nuevas perspectivas para historiar la cuidad. Revista de História da Arte, n.º 11, pp. 267-281.

Melo, Daniel. 2010. A Leitura Pública na I República. Lisboa: Húmus.

Mesquita, Maria Cristina. 1987. «“A Voz do Operário”, dados quantitativos.» Análise Social, 3 (V): 375-386.

Mogarro, Maria João e Alda Andrade. 2019. «Uma escola no seu tempo: a Escola Oficina n.º1». Em Roteiros de Inovação Pedagógica. Escolas e experiências de referência em Portugal no século XX, coordenação de Joaquim Pintassilgo e Luís Alberto Marques, 167-201. Lisboa: UL-IE.

Nóvoa, António. 1986. «O projeto de reforma Camoesas (1923): uma referência histórica no pensa¬mento do prof. João Evangelista Loureiro.» Revista da Universidade de Aveiro 7 (1-2): 113-119.

Nóvoa, António (coord.). 2003. Dicionário de Educadores Portugueses. Lisboa: edições ASA.
Paixão, Maria da Conceição L. 1989. «Norte Júnior: Obra Arquitetónica.» Tese de mestrado. Universi¬dade Nova de Lisboa, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas.

Paulus, Pascal. 2013. «Uma Outra Forma de Fazer Escola. A Voz do Operário de Ajuda.» Tese de doutoramento. Universidade de Lisboa, Instituto de Educação.

Pena-Rodríguez, Alberto. 2016. «El exilio político portugués en Estado Unidos: prensa y propaganda (1930-1945).» Em A Cultura do Poder. A Propaganda nos Estado Autoritários, coordenação de Alberto Pena-Rodríguez e Heloísa Paulo, 413-435. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra. https://doi.org/10.14195/978-989-26-1064-1_18

Pereira, Joana Dias. 2009. «A ofensiva operária». História da Primeira República Portuguesa, coord. Fernando Rosas e Maria Fernanda Rollo, 421-440. Lisboa: Tinta da China.

Pintassilgo, Joaquim. 2007. A Educação Nova em contexto republicano. Algumas reflexões a propósito da atividade da Sociedade de Estudos Pedagógicos. http://hdl.handle.net/10451/4009, consultado em 24.04.2019.

Pintassilgo, Joaquim. 2011. O Público e o Privado na História da Educação – o exemplo de Portugal (2ª metade do século XIX – início do século XX). https://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/8351/1/O%20P%C3%BAblico%20e%20o%20Privado.pdf

Pintassilgo, Joaquim. 2012. Experiências republicanas e intervenções educativas (o exemplo da I República Portuguesa, 1910-1926). https://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/10732/1/Experi%c3%aancias%20republicanas.pdf

Santos, Fernando Piteira. 1983. O Centenário da Sociedade A Voz do Operário. Lisboa: Voz do Operário.

Tavares, David e Manuel Pimenta. 1987. «O ensino não oficial na Primeira República - ”A Voz do Operário”.» Análise Social, 3 (V): 363-374.