A história da alfabetização de adultos no ensino, na pesquisa e na extensão da UFU e da UFMG (1986-2019)

Main Article Content

Francisca Izabel Pereira Maciel
Sônia Maria dos Santos

Resumo

Em um país, historicamente marcado pelos altos índices de analfabetismo – atualmente com 11,3 milhões de analfabetos– é possível constatar, por meio das pesquisas teóricas, como também nos profissionais da área da educação, que a EJA possui um lugar periférico nas políticas públicas, nas atividades, nas produções acadêmicas, principalmente no que diz respeito à alfabetização de jovens e adultos. Neste artigo, propomos uma reflexão sobre a história de alfabetização de adultos, a partir de Projetos desenvolvidos no campo do ensino, da pesquisa, e da extensão desenvolvidos em duas instituições federais, a Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), desde a década de 80. O tripé das Universidades públicas são as atividades de ensino, pesquisa e extensão. Portanto, tematizar e refletir sobre a importância de projetos de extensão nas Universidades é o objetivo deste artigo. Nem sempre as atividades extensionistas são valorizadas nos meios acadêmicos e o mesmo ocorre quando se trata da educação de jovens e adultos. Neste artigo, duas pesquisadoras buscam narrar suas histórias de projetos de pesquisa e extensão vivenciadas no campo acadêmico da alfabetização de adultos. No caso da UFMG, foi criado um projeto de pesquisa, inicialmente, coordenado por professores da Faculdade de Letras, cujo objetivo era compreender o processo de aquisição da leitura e da escrita em adultos analfabetos. A partir de 1986, o projeto foi integrado à Faculdade de Educação, ampliado ao longo dos anos como um projeto de extensão, ensino e pesquisa de pós-graduandos da linha Educação e Linguagem do Programa de Pós-Graduação da FaE/UFMG. Refletir sobre a longa duração desse Projeto ajuda-nos a entender o lugar das universidades no processo educativo e no compromisso social que a academia deve ter com as camadas menos favorecidas e na socialização da produção dos conhecimentos acadêmicos. Quanto a UFU, o processo foi inverso ao da UFMG, pois nesta universidade, a EJA aparece inicialmente e de forma tímida na extensão com cursos isolados e uma sala de alfabetização de EJA onde há mais de 15 anos atende alunos com problemas psicossociais. Essa experiência foi se consolidando não só na extensão como também um dos campos de pesquisa sobre a história da alfabetização na EJA nas linhas do PPGED/FACED/UFU, e ainda nos cursos de aperfeiçoamento financiados pela SEB/MEC e SECADI/MEC, a partir de 2009.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Maciel, F. I. P., & Santos, S. M. dos. (2020). A história da alfabetização de adultos no ensino, na pesquisa e na extensão da UFU e da UFMG (1986-2019). Cadernos De História Da Educação, 19(1), 24-41. https://doi.org/10.14393/che-v19n1-2020-4
Seção
Dossiê: História e memória da EJA nas universidades brasileiras e portuguesas
Biografia do Autor

Francisca Izabel Pereira Maciel, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG - Minas Gerais - Brasil

https://orcid.org/0000-0003-4751-2890
http://lattes.cnpq.br/0925119698225692
emaildafrancisca@gmail.com

 

Sônia Maria dos Santos, Universidade Federal de Uberlândia - UFU - Minas Gerais - Brasil

https://orcid.org/0000-0002-7217-1576
http://lattes.cnpq.br/9281057859793276
soniaufu@gmail.com

Referências

BARROS, José D’Assunção. O campo da história: especialidades e abordagens. Petrópolis: Vozes, 2004.

BARRETO, Vera. Formação permanente ou continuada. In: SOARES, Leôncio (Org). Formação de educadores de jovens e adultos. Belo horizonte: UNESCO, 2006.

BERNARDES, Fernanda Afonso. Modos de formar professores de EJA: 1990-2006. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.

FONTANA, Roseli A. C. Como nos tornamos professoras? Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

FREIRE, Paulo. Extensão ou Comunicação?. 7ª edição. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1985.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Editora Paz e Terra. 1988.

GADOTTI, Moacir. Por uma política nacional de educação popular de jovens e adultos. São Paulo: Moderna: Fundação Santillana, 2014.

GADOTTI, Moacir; ROMÃO, José E (Orgs.). Educação de jovens e adultos: teoria, prática e proposta. 2ª ed. rev. São Paulo: Cortez, Instituto Paulo Freire, 2000.

HADDAD, Sergio. Novos caminhos em educação de jovens e adultos. São Paulo: Global, 2007.

KLEIMAN, Angela B. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: KLEIMAN, Angela B. (Org.). Os Significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de letras, 1995.

KLEIMAN, Angela B. O processo de aculturação pela escrita: ensino da forma ou aprendizagem da função? In: KLEIMAN, A.B; SIGNORINI, I. (orgs.). O ensino e a formação do professor: alfabetização de jovens e adultos. Porto Alegre: Artmed, 2000.

LEPICK, Vanessa. Formação inicial de alfabetizadoras para a educação de jovens e adultos em Minas Gerais (1996-2006). 2018. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2018.

MACIEL, Francisca. O analfabeto: vida e lida sem escrita. Belo Horizonte: UFMG, 1994.

MACIEL, Francisca. Memorial. Documento apresentado à Faculdade de Educação da UFMG como requisito parcial para progressão funcional à classe de Professor Titular. Belo Horizonte: UFMG, 2018.

PALMERIO, Mário. Vila dos Confins. 16ª ed. Rio de Janeiro, José Olympio, 1974.

SANTOS, Sônia Maria. Memorial. Documento apresentado à Faculdade de Educação da UFU como requisito obrigatório para progressão à classe de Professor Titular da FACED/UFU, Uberlândia/MG, 2016.

SANTOS, Sônia Maria; SILVA, Fernanda Aparecida Oliveira Rodrigues; LEPICK Vanessa; ARAÚJO Regina Magna Bonifácio. Fóruns EJA do Brasil: Minas Gerais na defesa da educação de jovens e adultos. In: SILVA, Otavio Henrique Ferreira; PILOTO, Sumika Soares de Freitas Hernandez; CARA, Daniel Tojeira (Orgs). Fóruns de Educação no Brasil. Rio de Janeiro: Dictio Brasil, 2016.

SOARES, Leôncio. 30 Anos da EJA na UFMG – Extensão, Formação e pesquisa. Revista Teias, v. 17, Edição Especial - Práticas nas IES de formação de professores para a EJA, Rio de Janeiro, 2016. https://doi.org/10.12957/teias.2016.25013

SOARES, Magda. Metamemória-memórias: travessia de uma educadora. São Paulo: Cortez, 2001.

SOARES, Magda. Universidade, cidadania e alfabetização. Revista UFMG, Belo Horizonte, 2003.

UNESCO, BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Primeiro Encontro Nacional de Alfabetização e Cultura Popular em Recife, 1963. Brasília: UNESCO, 2009.