O ensino de música no Maranhão: uma análise nos livros escolares de Perdigão (1869) e Rayol (1902)

Main Article Content

Kathia Salomão
César Augusto Castro

Resumo

A pesquisa a respeito dos materiais escolares se tornou relevante no campo da história da educação no Brasil, incluindo a dos livros escolares. Sabendo-se dessa relevância, este trabalho visa analisar os livros Principios elementares de Musica (1869) e Noções de Musica (1902), dos maranhenses Domingos Perdigão e Antonio Rayol, respectivamente. Utiliza-se a pesquisa bibliográfica, priorizando autores que tratam da temática, como Bittencourt (2008) e Chopin (2002), e a pesquisa documental em documentos oficiais e jornais. A análise dessas obras levou em consideração os conteúdos selecionados, a forma de apresentação, o público e os fins a que foram destinadas. Os conteúdos abordados pelos autores correspondem aos elementos da grafia musical tradicional, apresentando ilustrações apenas no livro de Perdigão. Essas obras tiveram como público-alvo os alunos desses autores em escolas ludovicenses.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Salomão, K., & Castro, C. A. (2019). O ensino de música no Maranhão: uma análise nos livros escolares de Perdigão (1869) e Rayol (1902). Cadernos De História Da Educação, 18(3), 712-730. Recuperado de http://www.seer.ufu.br/index.php/che/article/view/51742
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Kathia Salomão, Escola de Música do Estado do Maranhão (Brasil) / Universidade Federal do Pará (Brasil)

Kathia Salomão
Escola de Música do Estado do Maranhão (Brasil)
Universidade Federal do Pará (Brasil)
https://orcid.org/0000-0001-5606-1089
http://lattes.cnpq.br/4489575016531288
kathiasalomao@hotmail.com

César Augusto Castro, Universidade Federal do Maranhão (Brasil) / Universidade Federal do Pará (Brasil)

César Augusto Castro
Universidade Federal do Maranhão (Brasil)
Universidade Federal do Pará (Brasil)
Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq
https://orcid.org/0000-0001-7650-895X
http://lattes.cnpq.br/2060977814636465
ccampin@terra.com.br

 

Referências

ALMANAK DO DIÁRIO DO MARANHÃO PARA O ANO DE 1879: 2º anno. São Luís: Frias, 1879.

AMARAL, Simão Pedro. Canto lírico no Maranhão: descontinuidade de uma arte não consolidada (Trabalho de Conclusão de Graduação). Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2001.

AUGÉ, Claude. Le livre de musique. 56. ed. Paris: Librairie Larousse, 1896.

BINDER, Fernando; CASTAGNA, Paulo. Teoria musical no Brasil: 1734-1854. In: SIMPÓSIO LATINO-AMERICANO DE MUSICOLOGIA, 1, 1997, Curitiba, PR. Anais eletrônicos... (p. 198-217). Curitiba, PR: Fundação Cultural de Curitiba, 1998.

BITTENCOURT, Circe. Livro didático e saber escolar: 1810-1910. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

CACCIATORE, Olga Gudolle. Dicionário biográfico de música erudita brasileira: compositores, instrumentistas e regentes, membros da ABM (inclusive musicólogos e patronos). Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005.

CASTELLANOS, Samuel Luis Velázquez. O livro escolar no Maranhão Império (1822-1889). São Luís: EDUFMA; Café & Lápis, 2017.

______. A circulação do “livro de classe” francês no Maranhão Império. In: CASTELLANOS, S.; CASTRO, C. (Org.). Livro, leitura e leitor: perspectiva histórica. São Luís: Café & Lápis; EDUFMA, 2016.

CASTRO, César Augusto (Org.). Livro, leitura e leitor: perspectiva histórica. São Luís: Café & Lápis; EDUFMA, 2016.

______. Leituras, impressos e cultura escolar. São Luís: EDUFMA, 2010.

CERQUEIRA, Daniel Lemos. Pesquisa Artística sobre o piano no Maranhão. Trabalho de ensaio II. Rio de Janeiro: PPGM/UNIRIO, 2018.

CHOPIN, Alain. O historiador e o livro escolar. História da Educação, ASPHE/FaE/UFPEL, Pelotas, v. 6, n. 11, p. 5-24, jan./jun. 2002. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/asphe/article/view/30596. Acesso em: 25 fev. 2015.

CONGRESSO PEDAGÓGICO. São Luís: Imprensa Oficial, [Trabalhos apresentados...], 1922.

CURY, Cláudia Engler. Manuais de civilidade na imprensa da Paraíba oitocentista (1862-1886). In: CASTRO, César Augusto; CASTELLANOS, Samuel Luis Velázquez (Org.). História da escola: métodos, disciplinas, currículos e espaços de leitura. São Luís: EDUFMA; Café & Lápis, 2018.

DANTAS FILHO, Alberto P. A grande música do Maranhão Imperial: estudo histórico musicológico a partir do acervo Musical de João Mohana. Teresina: Haley, 2014.

______. Dois métodos musicais da São Luís Imperial (1869/1902). In: OLIVEIRA, Alda; CAJAZEIRA, Regina. Educação Musical no Brasil. Salvador: Editora P&A, 2007.

DE CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

DUARTE, Raimunda Dias. Livros escolares de leitura da Amazônia: produção, edição, autoria e discursos sobre educação de meninos, civilidade e moral cristã. Campinas, SP: Pontes Editores, 2018.

FAGERLANDE, Marcelo. O baixo contínuo no Brasil: 1751-1851 – os tratados em português. Rio de Janeiro: 7letras; Faperj, 2011.

FERREIRA, Elder Magno Catanhede. História, música e sociedade: a música erudita maranhense no processo de disciplinamento social em São Luís no século XIX. 2010. 75 f. Monografia (Graduação em História) – Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2010.

GOUVEIA NETO, João Costa. A importância do jornal A Luta na construção da imagem musical de Antônio Rayol como o tenor maranhense na segunda metade do século XIX em São Luís. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA CULTURAL, 6., 2012, Teresina. Anais eletrônicos... Teresina: UFPI, 2012. Disponível em: http://gthistoriacultural.com.br/VIsimposio/anais/ Joao%20Costa%20Gouveia%20Neto.pdf. Acesso em: 12 abr. 2015.

GRUPO NUCLEAR UNIVERSITÁRIO. A festa dos sons. São Luís: SIOGE, 1972.

HALLEWELL, Laurence. O livro no Brasil: sua história. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2012.

JANSEN, José. Teatro no Maranhão. Rio de Janeiro: Gráfica Olímpica, 1974.

JORNAL PACOTILHA. São Luís, 22 nov. 1904.

______. São Luís, 20 dez. 1902.

JORNAL DIÁRIO DO MARANHÃO. São Luís, 25 abr. 1900.

______. São Luís, 10 maio 1901.

______. São Luís, 25 nov. 1902.

______. São Luís, 25 mar. 1903.

JORNAL O FEDERALISTA. São Luís, 05 fev. 1903.

LANDI, Márcio Spartaco. Lições de contraponto segundo a arte explicada de André S. Gomes. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora Ltda, 2006.

LEÃO, Ricardo. Os atenienses e a invenção do cânone nacional. São Luís: Instituto Geia, 2013.

MAGALHÃES, Justino. O mural do tempo: manuais escolares em Portugal. Lisboa, Portugal: Edições Colibri, 2011.

MARANHÃO. Arquivo da Arquidiocese. Livro de registro de óbito da freguesia de Nossa Senhora da Conceição da capital – 1894-1910. Livro n. 45. fl. 131.
______. Mensagem apresentada ao Congresso do Estado, 13 fev. 1901 pelo Exmo. Sr. Governador Dr. João Gualberto Torreão da Costa. São Luís, 1901.

MEDEIROS, Luís. Programa da aula de música da Escola Normal. In: MARANHÃO. Programas do Lyceu Maranhense e da Escola Normal. São Luís: Typographia a vapor do Frias & Filho, 1890.

MEIRELES, Mário Martins. Símbolos nacionais do Brasil e estaduais do Maranhão. Rio de Janeiro: CEA, 1972.

MIGUEZ, Leopoldo. Elementos de teoria musical. Rio de Janeiro: Casa Bevilacqua, [19--].

MORGADO, José Carlos. Manuais escolares: contributo para uma análise. Porto, Portugal: Porto Editora, 2004.

MORILA, Ailton Pereira. No compasso do progresso: a música na escola nas primeiras décadas republicanas. Revista Brasileira de História da Educação, n. 12, p. 75-119, jul./dez. 2006. Disponível em: http://rbhe.sbhe.org.br/index.php/rbhe/article/view/151/160. Acesso em: 28 dez. 2015.

PERDIGÃO, Domingos de Castro. O Colégio Perdigão. In: CONGRESSO PEDAGÓGICO. São Luís: Imprensa Oficial, [Trabalhos apresentados...], 1922a.

______. O que se deve ler: Vade-Mecum Bibliographico. São Luiz: Imprensa Official, 1922b.

PERDIGÃO, Domingos Thomaz Vellez. Principios elementares de musica: em 10 lições. São Luís: Typographia do Frias, 1869a.

______. Album de musica. São Luís: Manuscrito, 1869b.

PEREIRA, Elpídio de Britto. A música, o consulado e eu. Rio de Janeiro: [s. n.], 1957.
PORTO-ALEGRE, Ignacio. Solfejos do Instituto Nacional de Música. 4. v. Rio de Janeiro: Bevilacqua, [189-].

RAYOL, Antonio dos Reis. Noções de musica: extrahidas dos melhores auctores. São Luís: Typographia do Frias, 1902.

ROCHA, Heloísa Helena Pimenta; SOMOZA, Miguel. Apresentação do dossiê Manuais escolares: múltiplas facetas de um objeto cultural. Pro-posições, Campinas, SP, v. 23, n. 3 (69), p. 21-31, set./dez. 2012. https://doi.org/10.1590/s0103-73072012000300002

SALOMÃO, Kathia. O ensino de Música no Maranhão (1860-1912): lugares, práticas e livros escolares. São Luís: EDUFMA, 2016.

SOARES, Waléria de Jesus Barbosa. Produção e circulação dos livros de matemática no século XIX: autores e leitores. In: CASTRO, César Augusto; CASTELLANOS, Samuel Luis Velázquez (Org.). História da escola: métodos, disciplinas, currículos e espaços de leitura. São Luís: EDUFMA; Café & Lápis, 2018.