“Na luta pela vida, uteis a si e á Pátria”: perfil biográfico-profissional do Professor Benjamin Flores

Main Article Content

Betânia de Oliveira Laterza Ribeiro
Elizabeth Farias da Silva

Resumo

Benjamin Flores (1872–1950) se empenhou em promover condições de existência e trabalho à sociedade de Belo Horizonte na primeira metade do século XX. Suas iniciativas incluem uma escola profissional para mulheres, quando a urbe se abria a uma atuação e produção social feminina maior na esfera pública. Tal ação pode ser vista como à frente de seu tempo, maturada num processo de autoconscientização de sua realidade social. Esse artigo incide na atuação profissional de Flores para reconhecer, em sua conduta, antecedentes de seu projeto educacional, com base em cartas, jornais e escrituração escolar, entrevistas e fotografias, fontes lidas com um olhar de intenção histórico-dialética para ver continuidades e permanências, convergências e contradições, coerência e fragmentação. Os resultados apontam como homem de sensibilidade quanto às demandas sociais que buscou atuar em instâncias variadas como agente público e, sobretudo, como professor que entendeu o ensino em suas várias facetas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Ribeiro, B. de O. L., & Silva, E. F. da. (2019). “Na luta pela vida, uteis a si e á Pátria”: perfil biográfico-profissional do Professor Benjamin Flores. Cadernos De História Da Educação, 18(3), 621-639. https://doi.org/10.14393/che-v18n3-2019-3
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Betânia de Oliveira Laterza Ribeiro, Universidade Federal de Uberlândia (Brasil)

Betânia de Oliveira Laterza Ribeiro
Universidade Federal de Uberlândia (Brasil)
https://orcid.org/0000-0002-3708-4506
http://lattes.cnpq.br/6186135872782431
laterzaribeiro@uol.com.br

Elizabeth Farias da Silva, Universidade Federal de Santa Catarina (Brasil)

Elizabeth Farias da Silva
Universidade Federal de Santa Catarina (Brasil)
https://orcid.org/0000-0002-0407-5566
http://lattes.cnpq.br/8900149791941066
lizet@uol.com.br

Referências

ALMEIDA, Miguel Calmon du Pin e. Relatórios do Ministério da Agricultura — apresentados ao presidente da República dos Estados Unidos do Brasil pelo ministro de Estado da Agricultura, Indústria e Comércio. 1925.

ANDRADE, Mariza Guerra. Colégio do Caraça: a formação escolar e a formação das elites; In: LAGE, Maria E.; VILLALTA, Luiz C. A província de Minas, 2. Belo Horizonte: Autêntica, 2013, p. 161–80.

ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO. Inventário do fundo Conselho Deliberativo de Belo Horizonte. Belo Horizonte, MG, mar. de 2014, p. 4. Disponível em http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/acervo/fundos_colecoes/CDBH/INVENTARIO_DO_FUNDO_CONSELHO_DELIBERATIVO_DE_BH.pdf. Acesso em: 28 mar. 2019.

BARRETO, Abílio. Resumo histórico de Belo Horizonte – 1701–1947. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1950.

BELO HORIZONTE. Anuário de Belo Horizonte v. 1, ano 1. Belo Horizonte 1953.

CAETANO, Maria Celme Ribeiro. A saga dos Ribeiro. Clube de Autores, 2011.

CONGRESSO BRASILEIRO DE INSTRUÇÃO PRIMÁRIA E SECUNDÁRIA, 2., 1912, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais, 1912.

GOFFMAN, E. Estigma. Notas sobre a manipulação deteriorada. Rio do Janeiro: Zahar, 1975.

GOMES, Warley A.; CHAMON, C. S. Entre o trabalho, a escola e o lar: o caso da Escola Profissional Feminina de Belo Horizonte. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA, 2., Belo Horizonte, 2010.

MATOS, Ralfo Edmundo S. Evolução urbana e formação econômica de Belo Horizonte. texto para discussão n. 4, CEDEPLAR/UFMG (Datilografado e trechos escaneados da edição original em papel). Março de 1992. Disponível em http://www.cedeplar.ufmg.br/pesquisas/td/TD%2064.pdf. Acesso em: 28 mar. 2018.

ROCHA, Marlos Bessa Mendes da. A lei brasileira de ensino Rivadávia Corrêa (1911): paradoxo de um certo liberalismo. Educ. rev., Belo Horizonte , v. 28, n. 3, p. 219–39, set. 2012. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-46982012000300011&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 3 fev. 2017.

SILVA, Rita Cristina Lima Lages e. O ensino de Francês em Minas Gerais nas primeiras décadas do século XIX: os sujeitos escolares e a configuração de uma disciplina. Currículo sem Fronteiras, v. 9, n. 1, p. 91–102, jan./jun. 2009.

Fontes orais

CAETANO, Maria Celme Ribeiro. Belo Horizonte, MG, dia de mês de ano. Arquivo de mp3 63 minutos). Entrevista concedida a Betânia Laterza Ribeiro na residência da entrevistada.

FLORES, Teresa Cristina. Belo Horizonte, MG. Arquivo de mp3 (60 minutos). Entrevista concedida a Betânia Laterza Ribeiro na residência da entrevistada.

Fontes manuscritas

FLORES, Joaquim. Carta a Benjamin Flores. Novembro de 1891, manuscrito, 2 folhas. Acervo de Thereza Cristina Flores.

FLORES, Benjamin Flores. [Pedido de última vontade]. S. d. [1950], manuscrito, 1 folhas. Acervo de Thereza Cristina Flores.


Fontes jornalísticas

A TRIBUNA. São João d’El Rey, MG, 13 mar. 1927.

A UNIÃO. Rio de Janeiro, RJ, 10 nov. 1917.

CLEMENTE, José. Uma figura tradicional. Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, 13 de maio de 1950.

CORREIO DA MANHÃ. Rio de Janeiro, RJ, 16 jun. 1928.

CORREIO PAULISTANO. São Paulo, SP, 10 out. 1909, 12 mar. 1913, 6 out. 1913.

DIÁRIO DA ASSEMBLÉIA. Belo Horizonte, MG, 13 maio 1950.

DIÁRIO DA TARDE. Belo Horizonte, MG, 12 maio 1950.

DIARIO DE PERNAMBUCO. Recife, PE, 1º fev. 1915.

FLORES, Benjamin. Bello Horizonte, casas para alugar. O Pharol, Juiz de Fora, MG, 9 fev. 1911.

GAZETA DE NOTÍCIAS. Rio de Janeiro, RJ, 14 maio 1909 e 29 abr. 1909.

JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro, RJ, 4 abr. 1903, 2 nov. 1907.

JORNAL DO COMMERCIO. Rio de Janeiro, RJ, 17 set. 1912, 24 out. 1912, 11 ago. 1914, 3 out. 1914, 4 nov. 1916, 29 jan. 1916, 19 nov. 1916, 3 dez. 1916.

MINAS GERAIS. Ouro Preto, MG, 22 dez. 1892. 27 dez. 1892, 17 dez. 1893, 5 fev. 1894, 11 mar. 1894, 27 mar. 1895, 14 set. 1895, 14 jan. 1896, 20 jun. 1896, 2 jul. 1896, 19 out. 1896, 17 dez. 1896, 18 dez. 1896, 30 mar. 1897, 22 set. 1897.

MINAS GERAIS. Belo Horizonte, MG, 1º abr. 1898, 7 abr. 1898, 17 abr. 1898, 19 abr. 1898, 11 jul. 1898, 15 jul. 1898, 20 set. 1898, 13 dez. 1898, 30 dez. 1898, 28 fev. 1899, 15 ago. 1899, 6 set. 1899, 18 set. 1899, 20 set. 1899, 21 out. 1899, 4 dez. 1899, 17 fev. 1900, 23 jan. 1920.

O PAIZ. Rio de Janeiro, RJ, 15 ago. 1912, 5 out. 1912, 11 fev. 1913, 17 fev. 1913, 3 ago. 1913, 4 out. 1914, 17 fev. 1915, 2 fev. 1915, 23 fev. 1915, 17 fev. 1916.

O PHAROL. Juiz de Fora, MG, 14 mar. 1909, 14 mar.1903, 16 jun. 1905, 1º jul 1912, 3 out. 1912, 11 jun. 1915, 1917, 8 set. 1905.