Elementos constitutivos da história da profissão docente em Montes Claros (1920-1930)

Main Article Content

Geisa Magela Veloso
Mônica Maria Teixeira Amorim

Resumo

O artigo objetiva discutir elementos constitutivos da história da profissão docente, nas décadas de 1920-30, partindo da organização da Escola Normal na cidade de Montes Claros, localizada em Minas Gerais/Brasil. O estudo situa-se no âmbito da História Cultural, tomou o jornal Gazeta do Norte como fonte documental e a Revista do Ensino para captar a sincronia do local com discussões propostas em Minas Gerais. No estudo, destaca-se o papel das escolas normais na formação docente, o embate entre formação técnica e cultura geral, a abnegação e a culpa como fundamentos do trabalho docente. Ressalta-se que Montes Claros faz adesão ao programa proposto em Minas, defende o magistério como sacerdócio e o ensino normal como atividade técnica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Veloso, G. M., & Amorim, M. M. T. (2019). Elementos constitutivos da história da profissão docente em Montes Claros (1920-1930). Cadernos De História Da Educação, 18(1), 221-237. https://doi.org/10.14393/che-v18n1-2019-13
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Geisa Magela Veloso, Universidade Estadual de Montes Claros (Brasil)

Doutorado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Montes Claros. E-mail: velosogeisa@gmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-7392-2749. LATTES: http://lattes.cnpq.br/1077322100628342.

Mônica Maria Teixeira Amorim, Universidade Estadual de Montes Claros (Brasil)

Doutorado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Montes Claros. E-mail: monicamorimsa@gmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-3537-2686. LATTES: http://lattes.cnpq.br/7504073225354746.

Referências

CARVALHO, Marta Maria Chagas de. O Manifesto e a Liga Internacional de Educação Nova. In. XAVIER, Maria do Carmo (org). Manisfesto dos pioneiros da educação: um legado educacional em debate.Rio de Janeiro: editora da FGV, 2004.p. 147-182.

CHARTIER, Roger. História Cultural: entre práticas e representações. Trad. Maria Manuela Galhardo. Rio de Janeiro: Berthand do Brasil, 1990.

CALICCHIO, Vera. Verbete Noraldino Lima. CPDOC | FGV -Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil.Disponível em:http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/dicionarios/verbete-biografico/lima-noraldino. Acesso em 10 de agosto de 2016.

DE LORENZO, Helena Carvalho; COSTA, Wilma Peres da (orgs.). A década de 20 e as origens do Brasil moderno. São Paulo: Editora da UNESP. p.159-184.

FRADE, Isabel Cristina Alves da Silva e MACIEL, Francisca Isabel Pereira. (2006). O Livro de Lili em Minas Gerais: hegemonia didática e suas influências. In.: FRADE, Isabel Cristina Alves da Silva e MACIEL, Francisca Isabel Pereira. (org). História da alfabetização: produção, difusão e circulação de livros (MG/RS/MT –Séc. XIX e XX). Belo Horizonte: UFMG/FAE. p. 95-116.

MONARCHA, Carlos. Escola Normal da Praça: o lado noturno das luzes.Campinas-SP: Editora da Unicamp, 1999.

NAGLE, Jorge. Educação e sociedade na primeira república.Rio de Janeiro: DP e A, 2001.

GONÇALVES NETO, Wenceslau. Escola Normal de Montes Claros:controle e disciplina na preparação de professores primários em Minas Gerais (1888-1903). Disponível: http://www.revistas.uniube.br/index.php/anais/article/viewFile/752/1049. Acesso em 10/06/2016.

PEIXOTO, Ana Maria Casasanta. Educação e Estado Novo em Minas Gerais.Bragança Paulista/SP: EDUSF, 2003.

REIS, José Carlos. As Identidades do Brasil:De Varnhagen a FHC. 9.ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007.

TANURI, Leonor Maria. História da formação de professores. Revista Brasileira de Educação. Anped. Mai/jun/jul/ago. 2000, n. 14, p.61-88.

VELOSO, Geisa Magela. Imprensa e Escola Normal: representações de progresso e civilização na produção de um imaginário social –1918-1938. Revista Brasileira de Educação. v. 14 n. 42 set./dez. 2009. Pp 488-603.Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v14n42/v14n42a07.pdf. Acesso em: 11 de agosto de 2016.

VIDAL, Diana Gonçalves. O exercício disciplinado do olhar: livros, leituras e práticas de formação docente no Instituto de Educação do DistritoFederal (1932-1937). Bragança Paulista: Editora da Universidade de São Francisco, 2001.

VILELA, Heloisa de O. O mestre-escola e a professora. In: LOPES, Eliane Marta Teixeira, FARIA FILHO, Luciano Mendes, VEIGA, Cyntia Greive (org.). 500 anos de educação no Brasil.2. ed. Belo Horizonte, Autêntica. 2000. p.95-134.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro (Org). Caminhos da profissionalização do magistério.2.ed. Campinas-SP: Papirus, 2001.Fontes Documentais.

ALVES, Geraldina. A Festa das Normalistas. Discurso da alumna Geraldina Alves. Gazeta do Norte,Ano IX, nº 508, 12 de fevereiro de 1927. (Acervo do CPDOC -Centro de Pesquisa e Documentação da Unimontes–Montes Claros).

LIMA, Noraldino. O momento educacional em Minas –Discurso do paraninfo às diplomandas da Escola Normal de Juiz de Fora. Revista do Ensino:órgão oficial da Inspetoria Geral da Instrução. Ano VII. nº 79. 1º de janeiro de 1933 (Acervo do Arquivo Público Mineiro - Belo Horizonte).

RAYMUNDO NETTO, José. O espírito associativo do professorado mineiro. Revista do Ensino: órgão oficial da Inspetoria Geral. Ano V. nº 41. jan.1930 (Acervo do Arquivo Público Mineiro -Belo Horizonte).

RAYMUNDO NETTO, José. Problemas do Ensino em Minas. Gazeta do Norte.Ano XVI. n º 914. 19 de maio de 1934 .(Acervo do CPDOC -Centro de Pesquisa e Documentação da Unimontes – Montes Claros).

SANTOS, Helena Sousa. Ensino Normal. Gazeta do Norte.Ano XVI. nº 915.26 de maio de 1934.(Acervo do CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação da Unimontes – Montes Claros).