Inventivas administrativas nas reformas da instrução pública (Distrito Federal 1922-35)

Main Article Content

André Luiz Paulilo

Resumo

Este artigo aborda as estratégias de reforma da educação pública na capital federal do Brasil entre os anos de 1922 e 1935. Ele tem como objetivo compreender as iniciativas de implementação de políticas públicas na área da educação, então acionadas na Diretoria Geral de Instrução Pública do Distrito Federal. Em especial, propôs-se a investigar as ações que Carneiro Leão no quadriênio 1922-1926, Fernando de Azevedo entre 1927 e 1930 e Anísio Teixeira de 1932 a 1935 desenvolveram nessa instância da prefeitura do Rio de Janeiro. Ao final da análise, concluiu-se que toda uma inconfessa atividade de improvisação e invenção cotidiana contribuiu para a reforma da educação pública no período.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Paulilo, A. L. (2019). Inventivas administrativas nas reformas da instrução pública (Distrito Federal 1922-35). Cadernos De História Da Educação, 18(1), 191-207. https://doi.org/10.14393/che-v18n1-2019-11
Seção
Artigos
Biografia do Autor

André Luiz Paulilo, Universidade Estadual de Campinas (Brasil)

Doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo. Professor de História da Educação da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. E-mail: paulilo@unicamp.br. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-8112-8070. LATTES: http://lattes.cnpq.br/8813317661046448.

Referências

AZEVEDO, Fernando de. A reforma do ensino no Districto Federal.Discursos e Entrevistas. São Paulo: Cia Melhoramentos, 1929.

AZEVEDO, Fernando de. História da minha vida. Rio de Janeiro: José Olympio, 1971.

CARNEIRO LEÃO, Antônio. O ensino na capital do Brasil.Rio de Janeiro: Typographia do Jornal do Commercio, 1926.

CARVALHO, Marta Maria Chagas de. O Manifesto e a Liga Internacional pela Educação Nova. In.: XAVIER, Maria do Carmo (org.). Manifesto dos pioneiros da educação:um legado educacional em debate. Rio de Janeiro: FGV, 2004. p. 147-182.

______. Reformas da instrução pública. In.: LOPES, Eliane Marta Teixeira; FARIA FILHO, Luciano Mendes; VEIGA, Cynthia Greive. 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. p. 224-251.

______; TOLEDO, Maria Rita de Almeida. Reforma escolar, pedagogia da escola nova e usos do impresso. Contemporaneidade e Educação, ano V, n.º 7, p. 71-92, 2000.

______. Molde nacional e fôrma cívica:higiene, moral e trabalho no projeto da Associação Brasileira de Educação (1924-1931). Bragança Paulista: Edusf, 1998.

______. Quando a história da educação é a história da disciplina e da higienização das pessoas. In.: FREITAS, Marcos Cezar (org.). História social da infância no Brasil.São Paulo: Cortez, 1997. p. 291-309.

______. Estratégias textuais de difusão do escolanovismo no Brasil: uma perspectiva. In.: GVIRTZ, Silvina (org.) Escuela Nueva en Brasil y en Argentina:visiones comparadas. Buenos Aires: Mino y Dávila Editora, 1995. p. 59-72.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano:artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

CLASSIFICAÇÃO POR MERECIMENTO-Ata de eleição do terço 1927-1929. Diretoria Geral de Instrução Pública do Distrito Federal. Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, Códice 37-4-5. 1929.

FOUCAULT, Michel. A poeira e a nuvem. In.:Ditos e escritos, v. IV, Estratégia poder-saber. São Paulo: Forense Universitária, 2003. p. 323-334.

LEMME, Paschoal. Memórias.4v., São Paulo: Cortez; Brasília: INEP, 1984.

MAGALDI, Ana Maria. Um “compromisso de honra”: reflexões sobre a participação de duas manifestantes de 1932 no movimento de renovação. In.: ______; GONDRA, José Gonçalves (orgs.). A reorganização do campo educacional no Brasil: manifestações, manifestos e manifestantes. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2003, p. 77-97.

MENDONÇA, Sandra Cabral. Carneiro Leão:sonho e frustrações na Diretoria de Instrução Pública do Distrito Federal (1922-1926). 1997. 190f. Dissertação (Mestrado), PUC, Rio de Janeiro, 1997.

NUNES, Clarice. Anísio Teixeira:a poesia da ação. Bragança Paulista: EDUSF, 2000.

______. Cultura escolar, modernidade pedagógica e política educacional no espaço urbano carioca. In.: HERSCHMANN, Micael; KROPF, Simone; NUNES, Clarice. Os missionários do progresso:médicos, engenheiros e educadores no Rio de Janeiro –1870-1937. Rio de Janeiro: Diadorim, 1996. p. 155-224.

______. A escola nova no Brasil: do estado da arte à arte do estudo. In.: GVIRTZ, Silvina (org.) Escuela Nueva en Brasil y en Argentina: visiones comparadas. Buenos Aires: Mino y Dávila Editora, 1995. p. 13-39.

______. A escola reinventa a cidade. In.: HERSCHMANN, Micael M.; PEREIRA, Carlos Alberto Messeder. A invenção do Brasil Moderno:medicina, educação e engenharia nos anos 1920-1930.Rio de Janeiro: Rocco, 1994. p. 180-201.O MOVIMENTO escolar no anno findo. O Imparcial, Rio de Janeiro, 26 de fev. 1929.

PAGNI, Pedro Angelo. Do manifesto de 1932 à construção de um saber pedagógico:ensaiando um diálogo entre Fernando de Azevedo e Anísio Teixeira.Ijuí: Editora Ijuí, 2000.

PAULILO, André Luiz. A estratégia como invenção:as políticas públicas de educação na cidade do Rio de Janeiro entre 1922 e 1935. 2007. 427f. Tese (Doutorado em Educação). USP, São Paulo.

PAULILO, André Luiz et. al. Arquivo Fernando de Azevedo: instrumentos e pesquisa em fontes primárias. In.: FARIA FILHO, Luciano Mendes de (org.). Pesquisa em história da educação:perspectivas de análise, objetos e pesquisa. Belo Horizonte: HG Edições, 1999, p. 201-208.

PENNA, Maria Luiza. Fernando de Azevedo:educação e transformação. São Paulo: Perspectiva, 1987.

PILETTI, Nelson. A reforma Fernando de Azevedo no Distrito Federal, 1927-1930: algumas considerações críticas. Revista da Faculdade de Educação-USP, vol. 20, nº 1/2, jan./dez. 1994, p. 107-131.

PILETTI, Nelson. A reforma Fernando de Azevedo:Distrito Federal, 1927-1930. São Paulo: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 1982. (Estudos e Documentos, 20).

POPKEWITZ, Thomas S. Reforma educacional:umapolítica sociológica. Poder e conhecimento em educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

SILVA, José Cláudio Sooma. Teatros da modernidade: representações de cidade e escola primária no Rio de Janeiro e em Buenos Aires nos anos 1920.2009. 322f. Tese (Doutorado em Educação) –UERJ, Rio de Janeiro.

SILVA, José Cláudio Sooma. A reforma Fernando de Azevedo: tempos escolares e sociais -Rio de Janeiro, 1927-1930. Dissertação (Mestrado), FEUSP, São Paulo, 2004.

SILVA, José Cláudio Sooma. A linguagem jornalística e a reforma Fernano de Azevedo. 2001. Relatório de Pesquisa.

SILVA, Josie Aghata Parrilhada. Carneiro Leão e a proposta de organização da educação popular brasileira no início do século XX.2006. 130f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual de Maringá, Maringá.

TEIXEIRA, Anísio. Educação publica: administração e desenvolvimento. Relatório do Director Geral do Departamento de Educação do Districto Federal –dezembro de 1934. Rio de Janeiro: Oficina Gráfica do Departamento de Educação, 1935.

VIDAL, Diana Gonçalves. O exercício disciplinado do olhar:livros, leituras e práticas de formação docente no Instituto de Educação do Distrito Federal (1932-1937). Bragança Paulista: EDUSF, 2001. (Coleção Historiografia).

______. Desembaraçando algumas falas: aspectos das reformas Fernando de Azevedo e Anísio Teixeira no Distrito Federal (1927-1935). Cadernos de História e Filosofia da Educação, v. II, n.º 4, p. 75-98, 1998.

VIDAL, Diana Gonçalves. Fragmentos para uma história da educação no Distrito Federal (1930-1935): análise do Boletim de Educação Pública. São Paulo, FEUSP, 1992, mimeo, 75p.

ZENTGRAF, Maria Christina Santos Rocha. Projetos pedagógicos na Primeira República brasileira:a contribuição de Antônio Carneiro Leão.1994. 400f. Tese (Doutorado em Educação). UFRJ, Rio de Janeiro, 1994.