A educação em nível primário da professora Isabel Doraci Cardoso (1940-1944): uma história da educação vista de baixo

Main Article Content

Raylane Andreza Dias Navarro Barreto

Resumo

Em Sergipe, as Escolas Isoladas eram instituições escolares onde a maioria dos sertanejos sergipanos cursava a educação primária. A professora Isabel Doraci Cardoso (86 anos), representando bem a tradição interiorana, fez o seu curso primário entre o final dos anos de 1930 e meados de 1940 nesse tipo de escola. Este trabalho - com base no conceito de experiência de Edward Palmer Thompson (1981), na noção de cultura escolar de Dominique Julia (2001) e a partir de uma abordagem da história vista de baixo, de Jim Sharpe (1992) - propõe-se tratar sobre o processo de formação escolar da referida professora, estabelecendo as fronteiras entre as condições materiais e educacionais experienciadas e reveladas por sua narrativa, que se constituiu fonte e objeto de análise. Os dados revelam, em termos conclusivos, que esse tipo de narrativa contribui para o entendimento de uma pluralidade de circunstâncias que configuram e colaboram com a escrita da história.

Palavras-chave: Educação primária. Educação de mulheres. Experiência formativa e (auto)formativa.


Abstract

In Sergipe, the Isolated Schools were school institutions where most Sergipean inlander attended elementary education. Professor Isabel Doraci Cardoso (86 years old), well representing the interior tradition, did her elementary course between the late 1930s and the mid-1940s in this type of school. This work - based on the concept of experience of Edward Palmer Thompson (1981), in the notion of school culture of Dominique Julia (2001) and from an approach of history seen from below, of Jim Sharpe (1992) - proposes to deal with the educational process of the said teacher, establishing the boundaries between the material and educational conditions experienced and revealed by her narrative, which was the source and object of analysis. The data reveal, in conclusive terms, that this type of narrative contributes to the understanding of a plurality of circumstances that shape and collaborate with the writing of history.

Keywords: Elementary education. Education of women. Formative and (self) formative experience.

Resumen

En Sergipe, las Escuelas Aisladas eran instituciones escolares donde la mayoría de los campesinos de Sergipe cursaban la educación primaria. La profesora Isabel Doraci Cardoso (86 años), representando bien la tradición interiorana, hizo su curso primario entre el final de los años 1930 y mediados de 1940 en ese tipo de escuela. Este trabajo - basado en el concepto de experiencia de Edward Palmer Thompson (1981), en la noción de cultura escolar de Dominique Julia (2001) ya partir de un abordaje de la historia vista desde abajo, de Jim Sharpe (1992) - propone tratar sobre el proceso de formación escolar de dicha profesora, estableciendo las fronteras entre las condiciones materiales y educativas experimentadas y reveladas por su narrativa, que se constituyó fuente y objeto de análisis. Los datos revelan, en términos concluyentes, que ese tipo de narrativa contribuye al entendimiento de una pluralidad de circunstancias que configuran y colaboran con la escritura de la historia.

Palabras clave: Educación primaria. Educación de las mujeres. Experiencia formativa y (auto) formativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Barreto, R. A. D. N. (2018). A educação em nível primário da professora Isabel Doraci Cardoso (1940-1944): uma história da educação vista de baixo. Cadernos De História Da Educação, 17(2), 309-327. https://doi.org/10.14393/che-v17n2-2018-3
Seção
Dossiê: Educação de Mulheres no Brasil e em Portugal (séculos XIX e XX)
Biografia do Autor

Raylane Andreza Dias Navarro Barreto, Universidade Tiradentes

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, com estágio de pós-doutorado realizado na Universidade de Lisboa. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Tiradentes. E-mail: raylanenavarro@bol.com.br