DO QUADRO-NEGRO À LOUSA DIGITAL: A HISTÓRIA DE UM DISPOSITIVO ESCOLAR

Maria Helena Camara Bastos

Resumo


Analisa a história do quadro-negro e as transformações operadas nesse dispositivo escolar, entendido, ao mesmo tempo, como uma “técnica de poder e um procedimento de saber". Pesquisas na área de história da educação têm ressaltado arquitetura escolar, o espaço e o tempo escolar, sem deter-se sobre o significado do uso de certos objetos e as práticas ligadas a eles. Nessa perspectiva, o mobiliário escolar refletiria a pedagogia, na qual o quadro-negro ocupa especial centralidade. Pode-se afirmar que a centralidade pedagógica do e no quadro-negro resulta da ausência de manuais escolares e de outros recursos visuais para a aprendizagem, e da centralidade do processo pedagógico na figura do professor. O quadronegro/verde/digital, como suporte das experiências cognitivas e estéticas da vida escolar, possibilita reconstruir a memória de uma prática educativa arraigada no cotidiano, na perspectiva de uma história das práticas escolares.

Palavras-chave


dispositivo; cultura escolar; quadro-negro

Texto completo:

PDF