REFORMAS EDUCACIONAIS E OS CURRÍCULOS NACIONAIS PARA O ENSINO DE HISTÓRIA NO BRASIL REPUBLICANO (1931/2009)

Main Article Content

Itamar Freitas

Resumo

Este artigo trata de currículos nacionais produzidos no Brasil no regime republicano, entre 1931 e 2009. Aqui, anuncio as características-chave das prescrições destinadas ao ensino de história e disseminadas por quatro reformas educacionais: Francisco Campos (1931), Gustavo Capanema (1942/1951), Jarbas Passarinho (1971) e Paulo Renato Souza (1996/2001). No texto, além de informar sobre aspectos identificados como permanentes na maioria das reformas curriculares, procuro responder às seguintes questões: quais os sentidos empregados para a palavra história no espaço de fundamentação das propostas curriculares? Qual o potencial alcance das iniciativas de reformar o ensino no Brasil? Qual a estrutura curricular empregada, ou seja, como foram organizados os conteúdos históricos? Qual o grau de interferência dos profissionais que atuaram nos cursos de formação do professor de história? Neste sentido, espero contribuir com o debate sobre os rumos dos currículos contemporâneos destinados à escolarização básica dos brasileiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Freitas, I. (2013). REFORMAS EDUCACIONAIS E OS CURRÍCULOS NACIONAIS PARA O ENSINO DE HISTÓRIA NO BRASIL REPUBLICANO (1931/2009). Cadernos De História Da Educação, 12(1). Recuperado de http://www.seer.ufu.br/index.php/che/article/view/22903
Seção
Artigos