História, memória e ficção: o caso Dr. Antonio

  • Jury Antonio Dall'Agnol Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC
Palavras-chave: História, Memória, Literatura, Cidades, João do Rio.

Resumo

O romance "Memórias de um rato de hotel" de 1912 é o núcleo de uma série de relatos de um dos mais célebres gatunos do início do século XX: Arthur Antunes Maciel, vulgo, Dr. Antonio. João do Rio entre um misto de reportagem, memória e ficção elabora, através das reminiscências do ladrão de casaca, um romance que salta aos olhos pelo excesso de detalhes históricos, do personagem e da sociedade da época. No entanto, por trás destas linhas muito bem escritas pairam dúvidas: Até que ponto as memórias do rato de hotel são verídicas ou totalmente de sua autoria? Como perceber os fios que entretecem história, memória e ficção no romance? A escrita imaginativa de João do Rio e as memórias paródicas de Arthur Antunes Maciel estabelecem cada um a seu modo, um instigante diálogo com a história brasileira. É a partir destes diálogos que se desenrolará este artigo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jury Antonio Dall'Agnol, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC
Mestrando do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Santa Catarina. Bolsista CNPQ. E-mail: jurydallagnol@gmail.com.
Publicado
2011-04-18
Seção
N.42- Dossiê: A liberdade na/da História: conceitos, objetos de investigação e práticas de pesquisa.