O corpo vivo da Pregação Plasticidade e encarnação no Sermão do Espírito Santo, do Pe. Antônio Vieira

  • Guilherme Amaral Luz Universidade Federal de Uberlândia
Palavras-chave: Antônio Vieira, Encarnação, Parenética

Resumo

No Sermão do Espírito Santo, Antônio Vieira formula que os evangelizadores de sua época, antes de serem milagrosamente infundidos com as línguas de fogo do Pentecostes, deveriam ser tomados por "fogo de línguas": ardor de superação de todas as dificuldades impostas na comunicação com os "gentios" a fim de anunciar a eles a palavra da salvação. Vieira recupera a tópica paulina da superioridade do amor diante do saber no evangelizar. Pretende-se explorar as implicações deste raciocínio para a concepção de Vieira a respeito da arte de pregar nas suas dimensões "não-verbais", realçando os papeis da encarnação na parenética missionária do jesuíta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Amaral Luz, Universidade Federal de Uberlândia
Professor do Instituto de História
Publicado
2018-09-12
Seção
Dossiê: A instituição retórica e a sua longa duração