"O Elixir da Vida": curas anunciadas nos periódicos diamantinenses do século XIX

  • Keila Auxiliadora Carvalho
  • Ramon Feliphe de Souza
Palavras-chave: Imprensa, Medicamentos, Médicos, Curadores populares

Resumo

A legitimação do saber médico científico envolveu uma gama de estratégias buscando inserir a medicina no universo cultural das sociedades, no Brasil do século XIX este processo já estava em curso. No presente artigo analisaremos uma série de anúncios de um medicamento intitulado Elixir M. Morato, amplamente divulgado em jornais que, no século XIX, circularam na cidade de Diamantina, interior do estado de Minas Gerais. Nosso objetivo será mostrar que, embora os médicos denunciassem aqueles que praticavam a cura na informalidade, o faziam a partir de uma linguagem muito próxima dos curadores populares, valendo-se de seus argumentos e, muitas vezes, perpassando o universo das crenças populares. Assim, expressões como: santo remédio, milagre, erva indígena, entre outras, eram largamente utilizadas pelos doutos na arte de curar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Keila Auxiliadora Carvalho

Doutora em História Social. Professora Adjunta da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Ramon Feliphe de Souza
Mestrando do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde da Casa de Oswaldo Cruz /Fiocruz. ramon.feliphe@live.com
Publicado
2017-07-04
Seção
Artigo Livre