"É esse conjunto que importa preservar, no seu todo": o patrimônio nacional sob o imperativo estético

  • Dênis Tavares
Palavras-chave: Conjuntos urbanos mineiros, patrimônio cultural, SPHAN, Identidade Nacional

Resumo

Durante a chamada "fase heroica" do Serviço de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (SPHAN), que corresponde ao período no qual Rodrigo Melo Franco de Andrade assumiu a direção deste órgão (1937-1967), houve uma concentração das ações de preservação e de tombamentos no Estado de Minas Gerais. Os conjuntos arquitetônicos e urbanísticos das cidades mineiras tombadas passaram por uma espécie de "regime especial de preservação", baseado no rígido controle das fachadas de suas edificações, bem como na imposição de condições de uso e conservação de sua paisagem urbana. Procuramos, neste artigo, percorrerparte dessas ações de conservação e gestão dos conjuntos urbanos mineiros, além de abordar os valores em jogo na escolha e preservação de determinados bens materiais e simbólicos do passado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dênis Tavares

Denis Pereira Tavares. Doutor em História pelo Programa de Pós-Graduação em História da UFMG e Professor Substituto do Cefet/Timóteo denistavares85@yahoo.com.br

Publicado
2017-07-04
Seção
Dossiê