Vincent van Gogh: cinco retratos de uma família como crônica de seu tempo

  • Felipe Sevilhano Martinez

Resumo

Em 1888, após morar dois anos com seu irmão Theo van Gogh em Paris, o pintor holandês Vincent van Gogh parte para Arles, no sul da França. Cansado da vida agitada da grande cidade, e após certo desgaste na relação com seu irmão, van Gogh procura paz e inspiração na pequena e luminosa cidade na região da Provença. Em Arles, sintetiza, de maneira própria, as tendências de vanguarda com que teve contato em Paris; também conhece Joseph Roulin, carteiro e pai de uma família composta por cinco membros, que servirão como modelo para o pintor em diversos retratos pintados durante o ano de 1888. Cinco desses retratos, anunciados em carta enviada a seu irmão em dezembro do mesmo ano, compõem uma série que dialoga entre si e são tema deste artigo. Tais retratos em grupo constituem uma crônica da época em que o pintor vivia, e serão comparados com sua produção anterior quando pintava figuras chamadas "tipos" e não propriamente retratos. Antes de abordar os cinco retratos mencionados, serão explorados outros aspectos da vida e da obra de van Gogh, para que melhor se compreenda a posição que tais obras ocupam em sua produção pictórica.

Palavras-chave: Van Gogh. Retrato. Pintura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Sevilhano Martinez
Felipe Sevilhano Martinez é mestre em História da Arte pela Unicamp, onde defendeu dissertação sobre os cinco quadros de Vincent van Gogh presentes no acervo do Museu de Arte de São Paulo.
Publicado
2015-12-18
Seção
Dossiê: Retratos