Retratos de Erasmo: sobre os enraizamentos sociais do humanismo erasmiano

  • Rui Luis Rodrigues

Resumo

Este artigo procura, a partir de uma análise de algumas das representações pictóricas dedicadas a Erasmo de Rotterdam, investigar os principais fatores que dão conta da fortuna e do alcance do humanismo erasmiano. Dedica-se atenção, em especial, à habilidade com que Erasmo construiu e operou redes de relacionamento que incluíam não apenas a "república das letras" (respublica litterarum), mas também os centros decisórios do poder e os meandros do nascente mercado editorial, numa dinâmica que deu ao humanismo erasmiano condições, ao mesmo tempo, de se resguardar de críticos numa época especialmente delicada e de servir de abrigo para "heterodoxos" de vários matizes.

Palavras-chave: Erasmo de Rotterdam. Humanismo erasmiano. Redes de relacionamento. Países Baixos. Império. Ortodoxia. Heterodoxia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rui Luis Rodrigues
Doutor em História Social pela Universidade de São Paulo e professor de História Moderna no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).
Publicado
2015-12-18
Seção
Dossiê: Retratos