Vertentes do retrato romano no final da República e no início do Principado

Paulo Martins

Resumo


É comum observarmos um tratamento equivocado acerca do retrato romano, ora imprimindo-lhe uma terminologia exógena e anacrônica, ora impondo-lhe características generalistas e impressionistas. Tanto uma ação, quanto outra, faz prosperar afirmações descabidas e pouco fundamentadas sobre ele, entre as quais podemos vislumbrar: ou “seu caráter realista”, ou sua conexão com a “figuração idealista”. Este artigo visa a propor uma observação sobre as vertentes do Retrato Romano, oferecendo de um lado uma crítica a generalizações e de outro, um esboço de uma possível taxonomia que leve em consideração uma forma de ver e ler imagens de acordo com categorias coetâneas aos retratos.

Palavras-chave: Retrato. Roma. República. Principado. Estilos. Terminologia.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14393/cdhis.v27i2.32618

Universidade Federal de Uberlândia
Cadernos de Pesquisa do CDHIS ISSN: 1981-3090