A questão do acesso aos serviços de orientação técnica no Brasil e no estado de Goiás uma análise espaço-temporal dos dados dos Censos Agropecuários de 2006 e 2017

Main Article Content

Raphael Fernando Diniz
Evandro Cesar Clemente

Resumo

Buscou-se analisar, neste artigo, em que medida os investimentos e ações feitos entre 2003 e 2017 pelo governo federal no serviço extensionista lograram êxito na consecução satisfatória de seus objetivos. Para isso, recorremos à análise de um conjunto de dados dos Censos Agropecuários do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2006 e 2017. O recorte espacial de investigação compreendeu o Brasil, o estado de Goiás e suas cinco Mesorregiões Geográficas. A partir da análise dos dados, constatamos que a retomada dos investimentos federais no serviço extensionista não foi suficiente para promover a universalização e a democratização de seu acesso no país, nem tampouco possibilitou a expansão dos sistemas de produção menos nocivos ao ambiente e à saúde humana, inviabilizando, assim, a construção de um modelo de desenvolvimento rural sustentável, solidário e equitativo no campo brasileiro. Para mitigar ou mesmo superar as questões evidenciadas neste trabalho, urge construir e articular estratégias visando garantir o acesso à orientação técnica de qualidade e em quantidade necessária às demandas dos agricultores, buscando promover um novo modelo de desenvolvimento fundamentado em sistemas de produção mais autônomos, resilientes e sustentáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Diniz, R. F., & Clemente, E. C. (2020). A questão do acesso aos serviços de orientação técnica no Brasil e no estado de Goiás. CAMPO - TERRITÓRIO: REVISTA DE GEOGRAFIA AGRÁRIA, 15(35 Abr.), 230-259. https://doi.org/10.14393/RCT153509
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Raphael Fernando Diniz, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP, campus de Presidente Prudente-SP

Bacharel e Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais - UMFG - Campus Pampulha-Belo-Horizonte/MG. Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - FCT/UNESP - Campus de Presidente Prudente/SP. Bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - FAPESP. Membro do Grupo de Pesquisas TERRA & SOCIEDADE - Núcleo de estudos em Geografia Agrária, Agricultura Familiar e Cultura Camponesa do Instituo de Geociências - IGC - da UFMG e do Grupo de Estudos Dinâmica Regional e Agropecuária (GEDRA) - FCT/UNESP, Presidente Prudente/SP.Desenvolve trabalhos acadêmicos com ênfase nas seguintes áreas: Geografia Agrária, Agricultura Familiar, Etnogeografia, Agroecologia, Agroecossistemas e Sociobiodiversidade, Cultura Camponesa, Desenvolvimento Rural Sustentável, Comunidades Remanescentes de Quilombos, Relações de Gênero na Agricultura Familiar, Sistemas Agroflorestais, Assistência Técnica e Extensão Rural - ATER, Políticas Públicas de Desenvolvimento Rural, Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural - PNATER.

Evandro Cesar Clemente, Universidade Federal de Jataí - UFJ

Universidade Federal de Jataí - UFJ

Programa de Pós-Graduação em Geografia