Monocultivos de dendezeiros, capital transnacional e concentração de terras na Amazônia Paraense / La monoculture d`huile de palme, le capital transnational et la concentration des terres sur l`amazonie au Pará

Elielson Pereira da Silva, Sônia Barbosa Magalhães, André Luís Assunção de Farias

Resumo


A expansão dos monocultivos de dendê na Amazônia Paraense está inserida no contexto das agroestratégias comandadas pelo capital transnacional, as quais são incentivadas por políticas governamentais que estimulam a alocação de grandes investimentos exógenos, a partir de uma retórica ecológica, social e econômica para o desenvolvimento da região. Grandes companhias como a Biopalma/Vale, Archer Daniels Midland Company (ADM), Petrobrás Biocombustível, Galp Energia e Guanfeng Group instaladas nesta porção do território amazônico, dispõem de extensas faixas de terras apropriadas nos últimos anos. Os mecanismos de apropriação privada da terra pelo capital nacional e transnacional na microrregião de Tomé-Açu são analisados e revelam que esta vem se materializando em desacordo com o limite constitucional e outros dispositivos legais, caracterizando um processo de concentração de terras, que pode ser descrito como green grabbing, ancorado no tripé de argumentos sociotécnicos: o Zoneamento Agroecológico da Palma de Óleo (ZAE); a recuperação de áreas degradadas e a integração da agricultura familiar à cadeia agroindustrial.

 


Texto completo:

PDF