A QUESTÃO AGRÁRIA NO PONTAL DO PARANAPANEMA E O DEBATE PARADIGMÁTICO/LA CUESTIÓN AGRARIA EN EL PONTAL DO PARANAPANEMA Y EL DEBATE PARADIGMÁTICO

Main Article Content

Munir Jorge Felicio

Resumo

A complexidade da questão agrária analisada a partir da Região do Pontal do Paranapanema está marcada pelo enfrentamento entre o capital e o campesinato visando a submissão do território, de um lado e pelo debate paradigmático visando o controle e o domínio político das interpretações e dos significados, de outro. A luta pela terra e a luta pelo conhecimento estão imbricadas. O embate no campo contribui e interfere nas disputas no "campus". A troca do "campus" universitário pelo território camponês pode, na medida do possível, diminuir a distância entre teoria e prática e, com isso propiciar também a comparação entre as diversas concepções, conceitos, correntes teóricas e visão de mundo. O debate paradigmático entre dois paradigmas: o da questão agrária que defende o protagonismo propositivo do campesinato e o seu necessário embate com o capital, pois ambos ocupam o território com lógicas distintas. E, o do capitalismo agrário que defende a dependência e a submissão ao capital como única perspectiva, defendendo a hipótese da metamorfose do camponês em agricultor familiar. Basta ao campesinato lutar ao lado do capital se tecnificando e se integrando no processo produtivo, pois não há antagonismo entre capital e campesinato.ES

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Felicio, M. J. (2013). A QUESTÃO AGRÁRIA NO PONTAL DO PARANAPANEMA E O DEBATE PARADIGMÁTICO/LA CUESTIÓN AGRARIA EN EL PONTAL DO PARANAPANEMA Y EL DEBATE PARADIGMÁTICO. CAMPO - TERRITÓRIO: REVISTA DE GEOGRAFIA AGRÁRIA, 8(15). Recuperado de http://www.seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/14670
Seção
Artigos