FINANCIAMENTO PARA A AQUISIÇÃO DE INSUMOS MECÂNICOS AGROPECUÁRIOS NO BRASIL E NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

Main Article Content

Welton Paulo Nascimento
Francisco Fransualdo de Azevedo

Resumo

Este texto tem como objetivo analisar a política de crédito rural no âmbito do
financiamento para aquisição de insumos mecânicos (máquinas, equipamentos e
implementos) para a agricultura no Brasil e no Estado do Rio Grande do Norte.
Partimos da compreensão que o crédito rural se constitui num meio de ação do
Estado direcionada à produção no campo brasileiro, resultando na expansão da
técnica nos processos produtivos, mesmo que de forma seletiva setorial e
espacialmente. A realização da análise foi efetivada a partir de leitura bibliográfica,
consulta de documentos e levantamentos de dados em portais oficiais como do
Banco Central do Brasil (BACEN) e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
(IBGE). No Brasil, é perceptível que todas as regiões são contempladas com tal
política enquanto no caso do Rio Grande do Norte é evidenciado que o
financiamento direcionado à aquisição dos insumos analisados restringem-se aos
municípios onde se desenvolvem produções agroindustriais, com forte participação
dos municípios onde tal segmento produtivo apresenta relações de comercialização
com pequenos agricultores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Seção
Artigos
Biografia do Autor

Welton Paulo Nascimento, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Bacharel, licenciado e mestre e doutorando em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Atualmente é participante da Unidade Interdisciplinar de Estudos sobre Habitação e Espaço Construído, desenvolvendo pesquisas e estudos sobre o tema comércio de insumos agropecuários, com ênfase nos agentes e processos inseridos à essa dinâmica nas cidades e no campo. Tem experiência com os temas: consumo produtivo agrícola, comércio de insumos agropecuários, relação cidade-campo, internacionalização do turismo e dinâmica e produção do espaço urbano e regional.