DA FRAGMENTAÇÃO À DESINTEGRAÇÃO DA GESTÃO TERRITORIAL: PERSPECTIVAS A PARTIR DAS ÁGUAS NA BACIA DO ALTO RIO DAS VELHAS – MG

Main Article Content

Rodrigo Silva Lemos
Antônio Pereira Magalhães Junior

Resumo

O artigo discute como diferentes instâncias e instrumentos de planejamento e de gestão territorial possuem interdependências e interfaces que muitas vezes não são plenamente entendidas em suas inter-relações, consolidando um modelo de segregação da gestão que pode gerar fragmentação ou desintegração das diferentes políticas territoriais. A dinâmica das águas e das bacias hidrográficas podem demonstrar esses afastamentos e suas consequências, possibilitando o encontro e o diálogo entre as diferentes políticas, ao construir uma possível política das águas. A partir de entrevistas e da realização de grupo focal com gestores territoriais, o artigo ressalta que é fundamental retomar a compreensão das pessoas gestoras e das instâncias em uma dimensão de autonomia técnica e institucional para a construção e valorização de perspectivas de Estado que reconheçam as necessidades de compreensão dos diferentes territórios de planejamento e de gestão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Seção
Artigos
Biografia do Autor

Rodrigo Silva Lemos, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais / Departamento de Geografia e História

Geógrafo, especialista em direito ambiental, mestre em análise ambiental, doutorando em análise ambiental e planejamento territorial.

Antônio Pereira Magalhães Junior, Professor Titular do Departamento de Geografia do Instituto de Geociências da UFMG.

Graduação em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais, mestrado em Geografia e Análise Ambiental pela Universidade Federal de Minas Gerais, doutorado em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade de Brasília, com estágio na Ecole Nationale des Ponts et Chaussées (Paris). Pós-doutorado no Departamento de Geografia da Universitat Autònoma de Barcelona. Professor da Universidade Federal de Minas Gerais atuando, principalmente, nas áreas de geomorfologia fluvial e gestão de sistemas hídricos continentais. Bolsista CNPq nível 1.