ANÁLISE DO DESEMPENHO DOS MUNICÍPIOS RECÉM-CRIADOS EM MINAS GERAIS A PARTIR DO ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE MUNICIPAL

Main Article Content

Marcos Antônio Nunes
Ricardo Alexandrino Garcia
Rodrigo Nunes Ferreira

Resumo

Ao se constatar o surto da criação de municípios no Brasil e, neste particular, em Minas Gerais, procurou-se avaliar e mensurar o grau de sustentabilidade alcançado pelas novas municipalidades mineiras. Inicialmente os municípios foram congregados em três categorias: “filhos”, “mães” e “neutros”. Em seguida, para avaliar a sustentabilidade dos municípios, foi utilizado o Índice de Sustentabilidade Municipal (ISM), um indicador sintético que reúne onze variáveis quali-quantitativas, congregadas em quatro dimensões: ambiental, social, econômica e institucional. Os resultados demonstraram que, dos 130 municípios recém-criados em Minas Gerais, apenas 45 deles apresentaram valores de ISM superiores aos registrados pelos respectivos municípios de origem. A partir daí procurou-se identificar quais foram as variáveis e as dimensões do indicador sintético que foram mais determinantes para que estes municípios lograssem êxito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Seção
Artigos
Biografia do Autor

Marcos Antônio Nunes, Fundação João Pinheiro

Doutorado em Geografia e Organização do Espaço (UFMG), mestrado na mesma área de concentração. Pesquisador da Fundação João Pinheiro. Coordenou o Setor de Geografia do ex-IGA/SECTES-MG. Lecionou em várias universidades de Belo Horizonte nos cursos de Geografia e Turismo.

Ricardo Alexandrino Garcia, Instituto de Geociências - UFMG

Professor do Departamento de Geografia do Instituto de Geociências (IGC), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), coordena, desde 2010, o Laboratório de Estudos Territoriais (LESTE/IGC/UFMG); é o atual Coordenador do Programa de Pós-graduação em Geografia, sub-coordenou o programa de Pós-graduação em Análise e Modelagem de Sistemas Ambientais (2013-2015), sub-chefiou o departamento de Geografia (2014-2015) e foi o diretor do Instituto Casa da Glória (Eschwege) entre 2010 e 2013, todos vindulados ao IGC/UFMG; é o editor chefe do Cadernos do Leste (1679-5806), editor da revista Geografias (1808-8058), revisor de diversos periódicos científicos e lidera o grupo de pesquisa em Geografia Aplicada (CNPq). Possui mestrado (2000) e doutorado (2002) em Demografia pela UFMG e graduação em Psicologia (1995) pela USP. Tem experiência de pesquisa em geografia regional, métodos de análise regional e desenvolvimento econômico; geografia aplicada, distribuição espacial das atividades econômicas e regionalização; teoria e métodos quantitativos, modelos estocásticos, multivariados e espaciais, e modelagem de sistemas, geoprocessamento e modelos espacialmente explícitos; projeção populacional, com ênfase nos modelos de componentes da dinâmica demográfica e de pequenas áreas; distribuição espacial da população, movimentos populacionais e migração. Vem publicando e orientando, ultimamente, diversos trabalhos acadêmicos nas áreas da Geografia Econômica, Planejamento Urbano e Regional, Ciências Ambientais, Demografia e Economia Regional.

Rodrigo Nunes Ferreira, Prefeitura de Belo Horizonte

Graduado e Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2002), Doutor em Geografia pela mesma instituição. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Organização e Produção do Espaço, atuando principalmente nos seguintes temas: migração, inserção ocupacional e indicadores sociais. Trabalhou em projetos de construção e cálculo de indicadores sócio-ambientais no IDHS-PUC Minas e atualmente coordena equipe técnica multidisciplinar da Secretaria de Planejamento da Prefeitura de Belo Horizonte, em atividades de cálculo e acompanhamento de indicadores para monitoramento de políticas públicas municipais, em especial os indicadores de monitoramento da Agenda dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e cálculo do Índice de Qualidade de Vida Urbana de Belo Horizonte.