NÍVEL HIERÁRQUICO E REDE DE INFLUÊNCIA DOS CENTROS REGIONAIS NO INTERIOR DO ESTADO DE MINAS GERAIS: UMA PROPOSTA COM BASE NA OFERTA DO ENSINO SUPERIOR

Main Article Content

Rafael Santiago Soares
Carlos Fernando Ferreira Lobo

Resumo

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, promulgada em 1996, favoreceu a ampliação da oferta da educação superior no Brasil. O crescimento de matrículas e Instituições de Ensino Superior ocorreu de forma acelerada, embora regionalmente diferenciada. O objetivo desse trabalho é avaliar a abrangência espacial e o papel desempenhado pelos centros regionais na oferta do ensino superior no interior do estado de Minas Gerais, analisando as hierarquias e a amplitude das redes de influência dos principais centros regionais. Para identificar os núcleos das redes foi proposto o índice de Centralidade Regional (ICR), composto por quatro dimensões: o total de matrículas por município; o número de cursos ofertados por município; a capacidade de absorção de pessoas com ensino médio completo por município; e a capacidade de atração de estudantes de outras localidades. Os resultados permitiram a identificação de cinco municípios no primeiro nível hierárquico, que são: Uberlândia, Juiz de Fora, Uberaba, Viçosa e Montes Claros. A rede de influência de cada um desses municípios apresentou abrangência espacial diferenciada e difusa. A hierarquia das centralidades, as redes de mobilidade e as áreas de influência dos principais centros refletem os diferentes níveis de integração regional e flexibilidade espacial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Seção
Artigos
Biografia do Autor

Rafael Santiago Soares, UFMG

Doutorando em Geografia pela UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais. Possui mestrado em Geografia pela UFMG e graduação em Geografia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - PUC-Minas.

Carlos Fernando Ferreira Lobo, UFMG

Doutor em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG . Subcoordenador do Programa de Pós-graduação em Geografia do Instituto de Geociências da UFMG.