A ASSIMETRIA DE BACIAS HIDROGRÁFICAS E INFLUÊNCIAS LITOESTRUTURAIS NA GEOMORFOLOGIA DO RIO FORMOSO, TO

Daniel Santos, Fernando Morais

Resumo


O presente trabalho avaliou os aspectos de assimetria da bacia hidrográfica do rio Formoso, TO, a partir da aplicação de parâmetros geomórficos e da análise regional lito-estrutural e geomorfológica. A bacia está estabelecida sobre complexos granulíticos, faixas móveis e extensas coberturas sedimentares. O Geoprocessamento foi utilizado no armazenamento, tratamento e classificação dos dados, e juntamente com as observações de campo, foram feitas análises comparativas e correlativas. O rio Formoso é de oitava ordem, com uma área de 21.593 km² e 20.628 km de canais. Foram aplicados os índices geomórficos Fator de Assimetria da Bacia de Drenagem (FABD) e o Fator de Simetria Topográfica Transversal (FSTT). Os índices apontam que bacia hidrográfica possui 76% de área à direita do canal principal (Leste), área que com relevos suavemente ondulados e fortemente ondulados. O caimento do terreno é maior no médio e baixo curso no sentido da Bacia Sedimentar do Bananal, eixo de subsidência regional. Destacam-se os resultados obtidos das análises dos ribeirões Grota da Mata e Água Verde, que possuem forte grau de assimetria associado à ocorrência de crosta lateritica, que recobrem os divisores de água dos patamares interfluviais.


Palavras-chave


Geomorfologia fluvial; Bacia hidrográfica; Índices geomórficos; Tectônica cenozóica; Tocantins.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14393/RCG186112