USO E OCUPAÇÃO DO SOLO EM ÁREAS DE ASSENTAMENTOS RURAIS NO NORTE DE MINAS GERAIS

Rodrigo Praes de Almeida, Leidivan Almeida Frazão, Marcos Esdras Leite, Luiz Arnaldo Fernandes

Resumo


Com a intensificação das atividades humanas, com aumento das taxas de uso e ocupação dos solos, aumentaram as discussões no âmbito da reforma agrária e da viabilidade dos assentamentos rurais. Assim, este estudo teve como objetivo comparar o uso e a ocupação dos solos em áreas de assentamentos rurais na região norte de Minas Gerais. Três assentamentos rurais foram selecionados para comparação das classes de uso da terra nos anos de 2003 e 2014, com auxílio de técnicas de sensoriamento remoto. A amostragem de solo foi realizada nas classes do uso definidas para determinação dos atributos químicos. Os resultados obtidos foram submetidos à análise de variância e as médias pelo teste de Tukey (p<0,05), com auxílio do programa R. Foi possível verificar que os três assentamentos rurais, apresentaram decréscimo nas áreas de vegetação nativa e acréscimo nas áreas de culturas e de solo exposto. Na análise da acurácia da classificação foi observado um Índice Kappa satisfatório, e pode-se inferir que os assentamentos rurais tiveram significante mudança no intervalo de 11 anos de uso. A fertilidade do solo melhorou na camada superficial (0-20 cm) das áreas ocupadas com culturas e que foram bem manejadas.


Palavras-chave


Cerrado; Classificação de imagens; Degradação ambiental; Fertilidade do solo; Manejo do solo

Texto completo:

PDF


DOI (PDF): http://dx.doi.org/10.14393/RCG186202