AVALIAÇÃO DA DEGRADAÇÃO DE UMA ÁREA DA USINA DE BALBINA COMO SUBSÍDIO PARA RECUPERAÇÃO E CONSERVAÇÃO AMBIENTAL, NA AMAZÔNIA

Flávio Brazão Escobar, Júlio César Rodríguez Tello, Renata Lima Pimentel

Resumo


Neste trabalho caracterizou-se os processos erosivos de uma área degradada denominada “colônia”, localizada em área de influência da Hidrelétrica de Balbina no município de Presidente Figueiredo no estado do Amazonas.  O colônia é uma área de empréstimo que na época da construção da Usina, foi explorada como fonte de material para construção civil, no local também encontram-se outras áreas de empréstimo, chamados de: Alalau, Areal da curva, Barro amarelo e caixa d’agua. A metodologia empregada foi análise exploratória em campo, juntamente com registro fotográficos das modalidades erosivas existentes e uso de Sistema de Informação Geográfica (Arcgis 10) para mapeamento e geração do banco de dados. A partir dos resultados, foi identificado que a área possui alto nível de degradação, com presença de erosões do tipo sulcos e voçorocas em estágio de evolução, que se não forem contidas por projeto de recuperação, os processos de deposição podem se agravar, ocasionando assoreamento dos corpos d’água adjacentes.


Palavras-chave


Erosão; Processos Erosivos

Texto completo:

PDF


DOI (PDF): http://dx.doi.org/10.14393/RCG186201