ESTIMATIVA DE ͍NDICES DE CONFORTO TÉRMICO NA CIDADE DE CUIABÁ/MT

  • Mauro Sergio de França Universidade Federal de Mato Grosso e Instituto Federal de Mato Grosso
  • Gilda Tomasini Maitelli Universidade Federal de Mato Grosso/Prof. Dra no Programa de Pós Graduação em Geografia
  • Marta Cristina de Jesus Albuquerque Nogueira Prof. Dra do Programa de Pós-Graduação em Física Ambiental da Universidade Federal de Mato Grosso
  • Silvana Maria Bertoldo de França Instituto Federal de Mato Grosso/Tecnóloga em Produção de Grãos
  • José de Souza Nogueira Universidade Federal de Mato Grosso/Coordenador e Prof. Dr. do Programa de Pós-Graduação em Física Ambiental
Palavras-chave: climatologia urbana, conforto térmico, sazonalidade

Resumo

O objetivo deste estudo foi estimar o índice de Temperatura e Umidade (ITU) e o índice de Desconforto Térmico (IDT) em locais com diferentes usos de solo na cidade de Cuiabá. Para isso foram instaladas duas estações meteorológicas fixas na parte superior de caixas d'águas de escolas públicas, com registros diários e horários em dois meses representativos na sazonalidade regional de 2011. O mapeamento do entorno dos locais foi feito com imagens do Google Earth e processados no ArcGis 9.3. A validação dos dados foi feita através da correlação de Pearson e regressão linear mediante Bootstrap com 5000 reamostragens. Os resultados estimados do ITU mostraram o predomínio de dias "levemente desconfortáveis" em março e "extremamente desconfortáveis" em setembro, enquanto os resultados estimados do IDT mostraram o predomínio de dias "parcialmente confortáveis" para o período nos locais. A análise estatística mostrou forte correlação e determinação da temperatura do ar com os valores estimados. Concluiu-se pela estimativa que na cidade de Cuiabá predominaram dias com tendência de desconforto térmico, sendo que o uso do solo diferenciado entre os locais não modificou as condições de conforto térmico no entorno dos ambientes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mauro Sergio de França, Universidade Federal de Mato Grosso e Instituto Federal de Mato Grosso
Doutorando em Física Ambiental pela Universidade Federal de Mato Grosso e Professor de Geografia no Instituto Federal de Mato Grosso
Gilda Tomasini Maitelli, Universidade Federal de Mato Grosso/Prof. Dra no Programa de Pós Graduação em Geografia
Prof. Dra. do Programa de Pós-Graduação em Geografia (Mestrado); Prof. Dra do Depto de Geografia da UFMT
Marta Cristina de Jesus Albuquerque Nogueira, Prof. Dra do Programa de Pós-Graduação em Física Ambiental da Universidade Federal de Mato Grosso
Prof. Dra do Programa de Pós-Graduação (Mestrado e Doutorado) da UFMT.
Silvana Maria Bertoldo de França, Instituto Federal de Mato Grosso/Tecnóloga em Produção de Grãos
Tecnologia em Produção de Grãos/Produção de Grãos/Curso /Tecnológico/Superior
José de Souza Nogueira, Universidade Federal de Mato Grosso/Coordenador e Prof. Dr. do Programa de Pós-Graduação em Física Ambiental
Coordenador e Prof. Dr. do Programa de Pós-Graduação em Física Ambiental
Publicado
2015-10-20