ESPAÇOS PÚBLICOS DE LAZER NA INFÂNCIA: SOBRE AS LIMITAÇÕES DAS ATIVIDADES LÚDICAS NA CIDADE

Main Article Content

Ana Lucy Oliveira Freire

Resumo

O propósito principal deste artigo é discutir o problema da ausência de bens e serviços que estão para além do que se proclamam como básicos voltados para o lazer nas cidades. A motivação dessa discussão é o entendimento de que, embora sabedores da problemática que afeta os grandes espaços urbanizados, os poderes público - estado - o setor privado, além da própria sociedade não avançam no reconhecimento e na busca de caminhos tendo em vista uma cidade que proporcione uma vida melhor aos citadinos, especialmente para as crianças, abstraídas nesse processo. A temática lazer passou a merecer mais atenção da Geografia quando se relaciona o tema à reflexão acerca da problemática urbana, destacando-se o processo de produção do espaço urbano. Buscou-se construir uma análise com abordagem crítica partindo de aspectos e elementos fenomênicos da paisagem retomando os processos históricos da formação dos bairros escolhidos como recorte espacial no contexto do processo de urbanização. Destacamos nas pesquisas empíricas as tendências do tipo de lazer que o público infantil usufrui utilizando equipamentos novos em espaços que resultam de projetos de urbanização recentes, mas também a existência de formas e modos de brincar que ainda resistem e se desenvolvem nos bairros estudados em Vitória, ES.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Seção
Artigos
Biografia do Autor

Ana Lucy Oliveira Freire, Universidade Federal do Espírito Santo

Professora Associada do Departamento de Geografia e do Mestrado em Geografia, área de Geografia Humana/Cultural