DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DOS CASOS NOVOS DE TUBERCULOSE PULMONAR NOS MUNICÍPIOS DA REGIÃO NORTE DO BRASIL.

Isabelle Ribeiro Barbosa, Cândida Lisiê Fernandes Cosme

Resumo


A Tuberculose é uma endemia de grande impacto na saúde pública brasileira, e o uso de mapas para análise da espacialização de indicadores torna-se uma importante ferramenta para subsidiar as ações de controle dessa doença. O objetivo desse estudo foi analisar a distribuição espacial dos casos novos de tuberculose pulmonar na região Norte do Brasil. Trata-se de um estudo ecológico que utiliza a distribuição espacial de dados secundários de casos novos de tuberculose diagnosticados em residentes nos municípios do Norte do Brasil nos anos de 2005 a 2010. Analisou-se os principais indicadores da doença. Foram diagnosticados 41.832 casos novos de Tuberculose; o estado do Amazonas registrou a maior incidência; 84,9% dos casos foram classificados como Tuberculose pulmonar; a taxa de letalidade foi de 5,43%. Os municípios com as maiores médias anuais de casos novos foram Manaus, Belém e Ananindeua. O percentual de co-infecção com o Vírus da Imunodeficiência Humana foi de 4,17%; 1533 casos foram registrados em menores de 15 anos. A taxa de cura foi menor que 85% em mais de 80% dos municípios. Os indicadores de Tuberculose na Região Norte do Brasil estão aquém das metas preconizadas pelo Ministério da saúde, apontando para a necessidade de implementação de políticas de saúde voltadas para populações residentes em áreas de maior risco.

Palavras-chave


Tuberculose, Tuberculose pulmonar, Epidemiologia, Distribuição espacial, Brasil.

Texto completo:

PDF