PERDAS DE ÁGUA E SOLO NO CULTIVO DE MILHO COM DIFERENTES FORMAS DE CULTIVO EM AGRICULTURA FAMILIAR NA REGIÃO CENTRO -SUL DO PARANÁ

Main Article Content

Valdemir Antoneli Antoneli
Fatima Furmanowicz Brandalize

Resumo

A agricultura Familiar se caracteriza pela pequena e média propriedade rural, que na Região Centro-Sul do Paraná é constituída em sua maioria, por áreas que apresentam algumas restrições morfopedológicas, como solos raros e vertentes declivosas. Sendo este um fator limitante para a mecanização das áreas disponíveis para o cultivo. O desafio maior da agricultura familiar é adaptar e organizar seu sistema de produção, a partir das novas técnicas e métodos disponíveis. A forma como o cultivo é realizado, está diretamente associada às características locais. Neste sentido, em algumas áreas utiliza-se de práticas conservacionistas e outras não, promovendo variação na perda de água e solo ao longo do cultivo. O objetivo deste trabalho foi avaliar as perdas de água e solo no cultivo de milho, desenvolvido em Sistemas de Plantio Convencional e Plantio Direto, na safra 2010/2011, em uma pequena propriedade rural do Município de Irati - PR. Para a coleta de dados foram utilizadas calhas de Gerlach. O sistema de Cultivo Convencional apresentou uma perda de solo de 1,33 t/ha, e uma perda de água de 1,41% durante o período de monitoramento (dezembro/ abril), enquanto, o Plantio Direto resultou em apenas 0,1 t/ha de perdas de solo e 0,55% de perda de água. Demonstrando que adoção do Sistema de Cultivo com Plantio Direto reduziu, significativamente, as perdas de solo em relação ao Sistema de Cultivo Convencional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Seção
Artigos
Biografia do Autor

Valdemir Antoneli Antoneli, universidade Estadual do Centro-Oeste-UNICENTRO-PR

Professor Dr. do Departamento de Geografia da UNICENTRO - Campus de IRATI -PR. Atua nos seguintes itens: geomorfologia experimental, hidrologia de Florestas com enfase em áreas de Faxinais, além de erosão de solos em áreas Rurais

Fatima Furmanowicz Brandalize, Unicentro

Mestranda do Curso de pós graduação em Geografia da Unicentro