A FOME E A ESCASSEZ NO PER͍ODO TÉCNICO-CIENTÍFICO-INFORMACIONAL: REVISITANDO O PENSAMENTO DE JOSUÉ DE CASTRO EM RELAÇÃO AO BRASIL E AO NORDESTE

Main Article Content

Francisco Fransualdo de Azevedo
Fernanda Laize Silva de Lima
Rafael Pereira da Silva

Resumo

Este texto tem como objetivo principal fomentar discussões que versem sobre temáticas como a fome, desigualdades e contradições socioespaciais, fatores esses que ratificam a reprodução - desigual e combinada - do capital. A discussão apresentada sobre esta problemática está pautada na leitura de textos clássicos de Josué de Castro, como as obras "Geografia da fome" e "Geopolítica da Fome", as quais nos ajudam a compreender a fome, em suas diferentes formas de manifestação. Na tentativa de fazermos uma leitura contemporânea sobre a problemática em tela, optou-se por entendê-la como uma forma perversa de escassez, que se (re)define e se (re)afirma no período técnico-científico-informacional. Neste período, apesar do uso político da técnica, da modernização da agricultura e das políticas assistencialistas do Estado brasileiro, que teoricamente seriam capazes de mitigar ou acabar com essa mazela social, vemos que a fome, bem como todas as demais formas de escassez, assumem a função de (re)significar as desigualdades sociais e a manutenção da pobreza

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Seção
Artigos
Biografia do Autor

Francisco Fransualdo de Azevedo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Licenciado, Mestre e Doutor em Geografia. Professor dos cursos de Graduação e Pós-Graduação em Geografia da UFRN.

Fernanda Laize Silva de Lima, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Aluna do curso de licenciatura em Geografia da UFRN,

Rafael Pereira da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Possui graduação em Geografia (licenciatura) pelo Departamento de Geografia