WETLANDS NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA – PR: GESTÃO E DESAFIOS

Celia Regina Gapski Yamamoto

Resumo


RESUMO - Diversas políticas públicas aplicadas ao solo urbano atual visam a promoção sustentável do uso dos espaços. Muitas vezes, porém, determinados instrumentos não são suficientes ou não são eficientes para o alcance dos resultados esperados, promovendo desvios nos objetivos projetados, cuja recondução depende de um eficiente sistema de gestão. Saliente-se as gravíssimas conseqüências da poluição das águas bem como a importância da gestão das wetlands para as águas e a gestão das águas para as wetlands. Os desvios entre os modelos aplicados e projetados em áreas urbanas e os ganhos em recursos hídricos podem ser detectados, permitindo o equilíbrio entre a utilização dos recursos disponíveis e o desenvolvimento sustentável das cidades e a avaliação e gestão das wetlands que se mostram potencial para a melhoria da qualidade das águas dos rios. Aplicando, de modo inédito, um ensaio metodológico baseado na metodologia GTP - Geossistema, Território e Paisagem - para uma avaliação qualitativa e quantitativa de wetlands urbanas e de utilização potencial destas para a melhoria da disponibilidade de recursos hídricos e adotando-se, como estudo de caso, parte da bacia do Alto Iguaçu na Região Metropolitana de Curitiba, Paraná, foram realizadas as análises qualitativa e quantitativa das variáveis envolvidas, obtendo-se a síntese necessária a priorização de ambientes potenciais para os recursos hídricos e dessa forma, contribuir com diretrizes para a requalificação do espaço (recomposição ambiental das áreas), visando a melhoria das águas urbanas e a conservação das wetlands do Alto Iguaçu e, também, a aplicação em outras bacias.

Palavras-chave


gestão urbana, gestão de recursos hídricos, wetlands, desenvolvimento sustentável.

Texto completo:

PDF