A CONDIÇÃO SÓCIO-CULTURAL DOS NEGROS DA COMUNIDADE DOS BAGRES NO MUNICÍPIO DE VAZANTE (MG): PROPRIETÁRIOS E PRODUTORES

Pedro Machado de Oliveira, Rosselvelt Jose Santos

Resumo


Este trabalho analisa o modo de vida dos negros da comunidade dos Bagres, localizada no município de Vazante-MG, de forma que compreendêssemos como descendentes de escravos vieram a se tornar proprietários de terras. A propriedade da terra deu-lhes a condição de sedentários, não sendo necessários constantes deslocamentos em busca de terras cultiváveis. Tendo a terra como base de sua reprodução, os negros desenvolveram os seus meios de vida de acordo com as necessidades e possibilidades de seu tempo. A produção camponesa de subsistência na comunidade dos Bagres dava-se de acordo com a utilização da mão-de-obra familiar e com a eventual solidariedade de vizinhos na forma de mutirão; mas também de modo que se observassem os ciclos da natureza, que marcavam épocas de fartura na produção e épocas em que passavam por privações. O estado atual de intenso parcelamento das propriedades na comunidade dos Bagres mostra que a herança, como instituição contraditória, ao garantir o direito à terra aos herdeiros, promove a sua fragmentação. As transformações ocorridas na produção local, a partir da década de 1980, foram provocadas pela incorporação das terras de cerrado e incorporação de novas tecnologias ao processo produtivo, tais como a mecanização, fertilização química do solo, seleção de sementes e raças bovinas para produção de leite.

Palavras-chave


Comunidade, Subsistência, Camponeses, Mercado, Cultura.

Texto completo:

PDF