DINÂMICA TERRITORIAL DA REDE DE AGÊNCIAS BANCÁRIAS DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE

Main Article Content

Vandeir Robson da Silva Matias
Ana Maria Raposo do Carmo

Resumo

As redes bancárias correspondem a fluxos financeiros nacionais-territoriais e internacionais-extraterritoriais que articulam diversos pontos (re) configurando escalas de atuação no território. A atuação dessa rede de agências bancárias é tão significativa na (re) modelagem do espaço que ela auxilia na formação dos centros de gestão do território, ao mesmo tempo que essa rede é consolidada a partir de determinados fatores sociais, econômicos e políticos. O que se propõe no desenvolvimento do trabalho é discutir o papel do sistema financeiro brasileiro na (re) modelagem do território à luz da rede de agências bancárias (células do sistema) e identificar os fatores que norteiam a localização e a dinâmica das agências bancárias, empregando como base para o estudo a Região Metropolitana de Belo Horizonte. Para alcançar os objetivos que se propôs, utilizamos dados do IBGE sobre instituições financeiras e municípios, o estudo IBGE-Rede de influência das cidades de 2008 e relatórios do Banco Central. A partir dos estudos concluiu-se que a localização e dinâmica territorial das agências bancárias estão vinculadas à fatores de ordem econômica, demográfica, tecnológica e política e que a representatividade das agências no território brasileiro se multiplica a partir da utilização do território em rede, configurando espaços de fluxos territoriais e extraterritoriais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Seção
Artigos
Biografia do Autor

Ana Maria Raposo do Carmo

Graduanda em Geografia - IGC/UFMG