Utilização de resíduos de gesso da construção civil para incremento no desenvolvimento de Crotalaria retusa

  • Vandervilson Alves Carneiro Docente da UEG
  • Carlos de Melo e Silva Neto Doutorando em Produção Vegetal / UFG
  • Anna Clara Chaves Ribeiro Graduanda em Ecologia e Análise Ambiental / UFG - Universidade Federal de Goiás (Campus Samambaia, Goiânia
  • Thalles Martins de Oliveira Engenheiro Florestal / UFG - Universidade Federal de Goiás (Campus Samambaia, Goiânia
  • Bruno Bastos Gonçalves Doutorando em Aquicultura / UNESP

Resumo

O aumento dos resíduos sólidos de construção civil vem causando grandes impactos e tem intensificado a poluição ambiental. O objetivo deste estudo é apresentar um uso para o resíduo de gesso de construção civil, como fonte de nutrientes para o crescimento e desenvolvimento da Crotalaria retusa. Os tratamentos foram realizados com gesso superior, gesso profundo e controle. Para o tratamento com gesso, foi utilizado placas de gesso utilizadas na construção civil. Essas placas foram trituradas em trituradora mecânica em partículas de 0,5 cm a cinco cm. Para os tratamentos de gesso, foram utilizado cerca de 50 g de gesso por planta. O gesso superior foi colocado na superfície do substrato e o gesso profundo foi misturado ao substrato. Após 60 dias de crescimento, as plantas foram coletadas, desidratadas e pesadas. Os aspectos mensurados foram massa-seca total e massa-seca apenas da raiz. Para comparação estatística entre os tratamentos realizamos One-Way ANOVA e teste de Tukey, com significância de 95%. Para comparação da relação entre massa-seca total e da raiz foram realizadas regressões simples e comparadas entre os tratamentos. Os tratamentos que apresentaram gesso compondo o substrato apresentaram biomassa-seca de até 50% superior ao tratamento controle (F(4, 76) = 7,1287, p=0,000). A massa-seca da raiz do tratamento com gesso superior também apresentou acréscimo de 50% no crescimento em comparação ao tratamento controle. Além disso, a relação entre massa-seca de toda a planta e massa-seca apenas da raiz é de 80% (r = 0,8026; p = 0,000) no tratamento controle, porém essa relação chega até 87% (r = 0,8750, p = 0,000) para o tratamento de gesso profundo e 83% para gesso superficial (r = 0,8336; p = 0,000). Nota-se que com uso do gesso agrícola houve o aumento de volume de solo explorado pelo sistema radicular das culturas, maior aproveitamento nutricional e maior produtividade. Essa tecnologia pode ser uma solução eficiente e atrativa para que os produtores rurais tornem ainda mais sustentável todo seu processo produtivo, utilizando o aproveitamento do gesso de construção civil como alternativa viável para os plantios agrícolas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vandervilson Alves Carneiro, Docente da UEG

Docente da UEG

Carlos de Melo e Silva Neto, Doutorando em Produção Vegetal / UFG
Doutorando em Produção Vegetal / UFG
Anna Clara Chaves Ribeiro, Graduanda em Ecologia e Análise Ambiental / UFG - Universidade Federal de Goiás (Campus Samambaia, Goiânia
Graduanda em Ecologia e Análise Ambiental / UFG - Universidade Federal de Goiás (Campus Samambaia, Goiânia
Thalles Martins de Oliveira, Engenheiro Florestal / UFG - Universidade Federal de Goiás (Campus Samambaia, Goiânia
Engenheiro Florestal / UFG - Universidade Federal de Goiás (Campus Samambaia, Goiânia
Bruno Bastos Gonçalves, Doutorando em Aquicultura / UNESP
Doutorando em Aquicultura / UNESP
Publicado
2015-06-30