Caracterização físico-química, bioquímica e energética da água residuária do café processado por via úmida

  • Cláudio Milton Montenegro Campos
  • Marco Antônio Calil Prado
  • Erlon Lopes Pereira

Abstract

O café processado por via úmida, além de consumir grandes volumes de água, gera águas residuárias ricas em compostos orgânicos e inorgânicos. Nesta pesquisa estudou-se as características e o potencial poluidor das águas residuárias do processamento por via úmida do café coco. Os valores médios encontrados foram de 16.452 mg L-1, 9.011 mg L-1, 4,54; 4,9 dS m-1; 2,56%; 99,9 mg L-1; 954,2 mg L-1 e 194 mg L-1, em termos de DQO, DBO5, pH, condutividade, salinidade, nitrogênio total, compostos fenólicos e óleos&graxas, respectivamente. Os resultados das análises bromatológicas realizadas, foram respectivamente: 44.667 mg L-1, 1.067 mg L-1, 0,44%, 1.315 mg L-1, 1.189 mg L-1 e 97,32%, em termos de açúcares totais, amido, proteína, pectina total, pectina solúvel e umidade, demonstrando o seu elevado potencial poluidor. Caso não sejam tratadas adequadamente, essas águas podem poluir severamente o meio ambiente, especialmente os recursos naturais água e solo e, consequentemente, a atmosfera. Os altos valores encontrados para a DBO5 estão acima dos valores dos efluentes domésticos, curtumes, laticínios, bebidas e fábricas de conservas. Os altos valores de salinidade e condutividade elétrica demonstraram grau de restrição severo quanto ao uso destas ARC na irrigação. Os elevados valores de compostos orgânicos nestes mesmos efluentes demonstram a viabilidade do tratamento anaeróbio com geração de biogás como insumo energético.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Cláudio Milton Montenegro Campos
Engenheiro Civil pela UFMG, Mestre em Saneamento e Recursos Hídricos pela UFMG, PhD. em Engenharia Ambiental pela Universidade de Newcastle Upon Tyne. Atualmente professor Adjunto II da Universidade Federal de Lavras em Lavras- MG. Atua na area de : Anaerobiose, Controle ambiental, saneamento e fertirrigação.
Marco Antônio Calil Prado
Engenheiro Químico pela Faculdade de Varginha, Mestre em Engenharia Agrícola na área de Tratamento de efluentes agroindustriais pela Universidade Federal de Lavras. Atualmente funcionário do CEFET- UFMG em Nepomuceno.
Erlon Lopes Pereira
Graduando em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Lavras, orientado pelo professor Cláudio M. M. Campos em iniciação científica na area de saneamento e tratamento de efluentes.
Published
2010-06-18
How to Cite
Campos, C. M. M., Prado, M. A. C., & Pereira, E. L. (2010). Caracterização físico-química, bioquímica e energética da água residuária do café processado por via úmida . Bioscience Journal , 26(4). Retrieved from http://www.seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/7129
Section
Agricultural Sciences