Adaptabilidade e estabilidade de genótipos de soja em Minas Gerais

  • Wanessa Rosa Correia; Osvaldo Toshiyuki Hamawaki; Marcelo Magri Léllis; Daniela Freitas Rezende

Abstract

O objetivo deste trabalho foi analisar a adaptabilidade e estabilidade de 11 genótipos de soja, sendo 8 linhagens do programa de melhoramento de soja da UFU e 3 testemunhas comercialmente utilizadas: M-Soy 8400, MG/BR-46 Conquista e M-Soy 6101. O delineamento experimental foi blocos ao acaso, com 3 repetições. Os ensaios foram conduzidos nos anos agrícolas de 2004/2005 e 2005/2006 nos municípios de Uberlândia e Uberaba (Estado de Minas Gerais), sendo os anos, considerados locais, pelo programa de melhoramento de soja UFU. As análises individual e conjunta foram realizadas, considerando-se os efeitos de genótipos fixos e ambientes aleatórios. O método de análise foi o procedimento AMMI (modelo de efeitos principais aditivos e interação multiplicativa) e o método da ecovalência. Pela ecovalência, houve relação média entre estabilidade e produtividade dos grãos. Pelo procedimento AMMI, os genótipos G9, G5, G7, G1 e o ambiente Uberlândia 2004/2005 (A1 e A2) foram os mais estáveis, também apresentando boas médias de produtividade, mostrando ser os mais promissores para fins de recomendação.

Downloads

Download data is not yet available.
Published
2008-12-03
How to Cite
Hamawaki; Marcelo Magri Léllis; Daniela Freitas Rezende, W. R. C. O. T. (2008). Adaptabilidade e estabilidade de genótipos de soja em Minas Gerais. Bioscience Journal, 24(4). Retrieved from http://www.seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/6997
Section
Artigos