Influência da população de plantas e do espaçamento entre linhas nos caracteres agronômicos do híbrido de milho p30k75 em Rio Verde, Goiás

  • Alessandro Guerra da Silva Fesurv-Universidade de Rio Verde
  • Carlos Rodrigues Cunha Júnior Destilaria Nova União
  • Renato Lara de Assis Fesurv-Universidade de Rio Verde
  • Anderson Santos Imolesi Fesurv-Universidade de Rio Verde

Abstract

O objetivo deste trabalho foi avaliar o comportamento do híbrido de milho P30K75 em diferentes espaçamentos entre linhas e da população de plantas em Rio Verde (GO). O experimento foi conduzido no Centro Tecnológico da Cooperativa Agroindustrial dos Produtores Rurais do Sudoeste Goiano, utilizando o delineamento experimental de blocos casualizados, no esquema de parcelas subdivididas, com quatro repetições. Foram utilizados os espaçamentos entre linhas de 50, 60 e 80 cm combinados com as populações de 40.000, 50.000, 60.000, 70.000 e 80.000 plantas por hectare. Os maiores rendimentos de grãos foram obtidos com o aumento da população de plantas, o mesmo sendo verificado com o espaçamento de 60 cm. A população de 80.000 plantas ha-1 proporcionou o maior retorno financeiro. O índice de espiga decresceu com o aumento da população de plantas, não sendo influenciado pelo espaçamento entre linhas. A altura de planta foi maior com o uso de maiores populações de plantas, o mesmo sendo verificado para o espaçamento de 80 cm. Não foi constatado efeito da população de plantas para peso de grãos por espiga e severidade de doenças foliares. Os espaçamentos de 50 e 60 cm proporcionaram maiores severidades de doenças foliares nas plantas de milho.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Alessandro Guerra da Silva, Fesurv-Universidade de Rio Verde
Alessandro Guerra da Silva possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras (1995), mestrado em Agronomia (Fitotecnia) pela Universidade Federal de Lavras (1998) e doutorado em Fitotecnia (Produção Vegetal) pela Universidade Federal de Viçosa (2003). Atualmente é professor efetivo da Universidade de Rio Verde nos cursos de Agronomia, Zootecnia e no Programa de Pós Graduação em Produção Vegetal. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Manejo e Tratos Culturais, atuando principalmente nos seguintes temas: milho, sorgo, girassol, arroz e soja.
Carlos Rodrigues Cunha Júnior, Destilaria Nova União
Carlos Rodrigues Cunha Junior é engenheiro agronômo formado pela Universidade de Rio Verde em 2004. Atualmente é responsável pela área de mecanização da destilaria Nova União, em Indiara (GO).
Renato Lara de Assis, Fesurv-Universidade de Rio Verde
Renato Lara de Assis Possui graduação em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Lavras (1992), mestrado em Agronomia (Solos e Nutrição Mineral de Plantas) pela Universidade Federal de Lavras (1996) e doutorado em Agronomia (Energia na Agricultura) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho em Botucatu (SP) (2002). Publicou 10 artigos em periódicos especializados e 50 trabalhos em anais de eventos. Orientou 13 estudantes de monografia de gradução nos cursos de Agronomia e Zootecnia. Participou de 3 bancas de mestrado e 30 de trabalho de conclusão de curso. Orientou um estudante de mestrado (já concluído) e orienta atualmente 3 estudantes e co-orienta mais 4. Atualmente é editor assistente da Revista Brasileira de Ciência do Solo e professor titular da FESURV - Universidade de Rio Verde e diretor de pesquisa da Universidade desde 2006. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em física do solo, atuando principalmente nos seguintes temas: sistema plantio direto, compactação do solo e opções de plantas de cobertura para o cerrado.
Anderson Santos Imolesi, Fesurv-Universidade de Rio Verde
Anderson Santos Imolesi possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Uberlândia (1995) e mestrado em Agronomia (Fitotecnia) pela Universidade Federal de Lavras (1999) . Tem experiência na área de Agronomia , com ênfase em Fitotecnia. Atuando principalmente nos seguintes temas: eletroforese, zea mays, proteínas, isoenzimas, marcadores morfológicos.
Published
2008-06-04
Section
Artigos