Inibicao de apoptose e retardo da maturacao placentaria: um provavel mecanismo da retencao placentaria na brucelose bovina (revisao de literatura)

  • Karina Kelly de Oliveira Luquesi Meca UFMG
  • Anilton Cesar Vasconcelos UFMG
  • Luciana Moro UFMG

Abstract

A brucelose é uma doença de grande importância em saúde pública, causa grande perda de produtividade em rebanhos bovinos, além de prejuízos em decorrência das barreiras sanitárias no mercado internacional. No bovino, a brucelose induz aborto, mortalidade neonatal, placentite necrotizante e retenção de placenta. Como tecidos em necrose usualmente são friáveis, seria esperado que a placenta se desprendesse mais rapidamente e não ficasse retida em decorrência da placentite necrotizante na brucelose. Há evidências de que bactérias do gênero Brucella inibem a apoptose ao infectar determinados tipos celulares. A Brucella abortus tem a habilidade de infectar e se multiplicar no trofoblasto. A expulsão adequada da placenta no momento do parto depende da maturação deste órgão, que decorre da diminuição da celularidade e da ocorrência de apoptose nos tecidos fetal e materno. Propõe-se aqui que a Brucella abortus, direta ou indiretamente, iniba a apoptose de células placentárias e, conseqüentemente, retarde a maturação placentária. Esse fato poderia explicar melhor a retenção placentária que se desenvolve na brucelose bovina.

Downloads

Download data is not yet available.
Published
2006-07-20
How to Cite
Kelly de Oliveira Luquesi Meca, K., Cesar Vasconcelos, A., & Moro, L. (2006). Inibicao de apoptose e retardo da maturacao placentaria: um provavel mecanismo da retencao placentaria na brucelose bovina (revisao de literatura). Bioscience Journal, 22(1). Retrieved from http://www.seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/6653