Influência de herbicidas e fungicidas na germinação carpogênica de escleródios de Sclerotinia sclerotiorum (Lib.) de Bary = Influence of herbicides and fungicides in the carpogenic germination of...

Cláudio Maurício Vrisman, Guilherme de Camargo Hüller, Felipe Fadel Sartori, Luciane Henneberg, Carlos Rafael Wutzki, David de Souza Jaccoud Filho, Fernando Cezar Juliatti

Abstract


Sclerotinia sclerotiorum é um fungo polífago apresentando mais de 400 espécies hospedeiras. No Brasil relata-se que sua ocorrência tenha aumentado a partir da safra 2003/2004 em função do uso de sementes infectadas, falta de rotação de culturas, entre outras causas. Nos EUA, há relatos que o aumento da doença também tenha ocorrido devido à redução no uso de herbicidas do grupo das triazinas na cultura do milho, em rotação. Alguns trabalhos relatam que esse herbicida atua na formação de apotécios anormais e na inibição da produção de ascósporos. Frente a isso o presente trabalho objetivou o estudo do efeito de 12 herbicidas e 5 fungicidas sobre a germinação carpogênica de S. sclerotiorum. O trabalho foi conduzido em laboratório na Universidade Estadual de Ponta Grossa. Em caixas tipo gerbox foram colocados 80 gramas de substrato e 20 escleródios. A aplicação foi realizada utilizando um volume de calda de 400 L.ha-1. Após a aplicação as caixas foram acondicionadas em ambiente controlado (20°C e fotoperíodo de 12 horas). Os tratamentos utilizados foram: glifosato, lactofen, atrazina, setoxidim, diuron, diuron + paraquat, imazaquim, trifluralina, diclofop metílico, clorimuron etílico, metribuzim e imazetapir (herbicidas) e fluazinam, procimidone, carbendazim, dimoxystrobin + boscalid e tiofanato metílico (fungicidas). Aos 36 dias após a aplicação foi realizada uma contagem do número de escleródios germinados, número de estipes e número de apotécios por escleródio. Para os dados de germinação de escleródios, foi constatado que somente dimoxystrobin + boscalid apresentou germinação inferior a 70%. Os demais tratamentos apresentaram germinação superior a 83%. Para número de estipes formadas por escleródio foi constatado que todos os tratamentos apresentaram de duas a quatro estipes por escleródio. Foi observado que os tratamentos com dimoxystrobin + boscalid, tiofanato metílico e carbendazim apresentaram as menores taxas de diferenciação de estipes em apotécios, ou seja, constatou-se a formação de estipes inviáveis. No tratamento com dimoxystrobin + boscalid foi constatado uma viabilidade de apenas 34,56% de suas estipes. Os resultados aqui apresentados mostram que a aplicação antecipada desses tratamentos pode ser realizada visando atingir a fonte de inóculo (escleródios) no solo, reduzindo o potencial de infecção dos mesmos e consequentemente sua incidência sobre culturas.

Keywords


Apotécios. Manejo. Mofo Branco



Bioscience Journal
ISSN 1981-3163 - Online Journal

Federal University of Uberlandia
Av. Para, 1720
Bloco 8C - Sala 108
Campus Umuarama
B. Umuarama
38400-902 - Uberlandia, MG, Brasil
Fone: +55-34-3225-8688
biosciencej@ufu.br