Características fisiológicas do cafeeiro em competição com plantas daninhas

  • Christiano da Conceição de Matos Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
  • Cintia Maria Teixeira Fialho Universidade Federal de Viçosa
  • Evander Alves Ferreira Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
  • Daniel Valadão Silva Universidade Federal de Viçosa
  • Antonio Alberto da Silva Universidade Federal de Viçosa
  • José Barbosa dos Santos Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
  • André Cabral França Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
  • Leandro Galon Universidade Federal da Fronteira do Sul

Abstract

Quando plantas estão submetidas à alta competição, as características fisiológicas normalmente são alteradas, o que resulta em diferenças no aproveitamento dos recursos do ambiente, principalmente no uso da água, que influencia de modo direto a disponibilidade de CO2 no mesofilo foliar e a temperatura da folha e, conseqüentemente, a eficiência fotossintética da planta. Diante do exposto, objetivou-se com este trabalho avaliar as características associadas à atividade fotossintética de folhas jovens e maduras em plantas de cafeeiro cultivadas em competição com Mucuna aterrima, Brachiaria plantaginea e Brachiaria decumbens, bem como, o efeito da densidade dessas espécies daninhas na cultura. As folhas mais maduras do cafeeiro se diferenciaram das folhas mais jovens por apresentar maiores valores de taxa fotossintética (A), taxa de transpiração (E), condutância estomática (Gs), consumo de CO2 (∆C) e a eficiência no uso da água (EUA) (exceto quando a cultura é cultivada na presença de B. decumbens). O aumento da densidade de M. aterrima promoveu o incremento do ΔC e da E das plantas de café, assim como, o cultivo com B. decumbens aumentou a Concentração de CO2 subestomática (Ci) da cultura; já para B. plantaginea não houve influência da densidade nos parâmetros fisiológicos estudados. Pode-se concluir que as plantas de M. aterrima são mais competitivas quando presentes em menores densidades, influenciando negativamente o ∆C, a Gs, a E e a A do cafeeiro, já B. decumbens possui maior habilidade competitiva quando em maior densidade, reduzindo a E, Gs e a A do cafeeiro.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Christiano da Conceição de Matos, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
Mestrando em Produção Vegetal / UFVJM
Cintia Maria Teixeira Fialho, Universidade Federal de Viçosa
Doutorando em Fitotecnia/ UFV
Evander Alves Ferreira, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
Pós doutorando em Produção Vegetal / UFVJM
Daniel Valadão Silva, Universidade Federal de Viçosa
Manejo Integrado de Plantas Daninhas - Departamento de Fitotecnia -UFV
Antonio Alberto da Silva, Universidade Federal de Viçosa
Professor Adjunto do Departamento de Fitotecnia / UFV
José Barbosa dos Santos, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
Professor Adjunto do Departamento de Agronomia/ UFVJM
André Cabral França, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
Professor Adjunto do Departamento de Agronomia/ UFVJM
Leandro Galon, Universidade Federal da Fronteira do Sul
Professor Adjunto do Departamento de Agronomia/ UFFS
Published
2013-08-08
How to Cite
Matos, C. da C. de, Fialho, C. M. T., Ferreira, E. A., Silva, D. V., Silva, A. A. da, Santos, J. B. dos, França, A. C., & Galon, L. (2013). Características fisiológicas do cafeeiro em competição com plantas daninhas . Bioscience Journal, 29(5). Retrieved from http://www.seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/21868
Section
Agricultural Sciences