Isolamento, cultivo e caracterização de células derivadas de cardioesferas de camundongos CD1

  • Poliana Rodrigues Alves UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERL
  • Susana Kelly de Abreu
  • Débora Bastos Mello
  • Tais Hanae Kasai Brunswick
  • Lucas Vogt Cota
  • Débora Ribeiro Chagas
  • Adriana Bastos Carvalho
  • Elmiro Santos Resende

Abstract

No Brasil, como em todo o mundo, as doenças cardiovasculares têm sido uma das principais causas de morte. A alta mortalidade e as poucas alternativas terapêuticas para esta doença têm estimulado a investigação no campo das células estaminais. Recentemente, alguns grupos têm mostrado a presença de células-tronco/progenitoras residentes no coração. Estas poderiam ser cultivadas diretamente a partir de tecidos cardíacos produzindo aglomerados esféricos denominados Cardioesferas estas, contém células proliferativas que dão origem, após o plaqueamento, a uma população heterogênea denominada: células derivadas de cardioesferas (CDCs). O objetivo deste estudo foi isolar, cultivar e caracterizar as CDCs de camundongos da linhagem CD1. Para isto, as células primárias foram isoladas a partir de corações de camundongos adultos da linhagem CD1 após a digestão de pequenos fragmentos do órgão em 420U/ml utilizando colagenase tipo II por 20 minutos 37°C. Nas análises por Citometria de Fluxo (FACS) foram observadas baixa expressão das moléculas de CD19 (0,4%), CD45 (0,5%) e CD90 (4,77%), e alta expressão das moléculas CD73 (71,47%), CD105 (25,1%), CD14 (25,17%). Nos ensaios de imunofluorescência foi possível observar a expressão das proteínas no citoplasma dos cardiomiócitos: vimentina, desmina e alfa actina de músculo liso, além da expressão do filamento intermediário nestina. Ao analisar a expansão celular por population doubling time foi observado que as CDCs duplicaram sua população original em cerca de 1,8 dias. Estes resultados sugerem que as CDCs isoladas a partir de camundongos da linhagem CD1, são células que apresentam características de células mesenquimais, constituindo uma população celular a ser testada nos estudos em terapias celulares. Estes resultados, motiva a estabelecer protocolos mais efetivos a fim de investigar possíveis efeitos parácrinos benéficos, bem como o potencial angiogênico e cardiogênico destas células.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biography

Poliana Rodrigues Alves, UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERL
Enfermeira Supervisora em Pesquisa Clínica do Hospital de Clínicas de Uberlândia, mestranda pelo Programa de Pós Graduação em Ciências da Saúde da Universidade Federal de Uberlândia, na área de Terapia Celular 2011. Bacharel em Enfermagem pela UFU, 08/2010 e licenciatura 12/ 2010. Foi estagiária, bolsista PROEX/ PIEEX 2008/2009. Fundadora da Liga de Enfermagem em Neurologia - UFU 2007 e atuou como coordenadora geral de 2007 a 2009. Coordenou e organizou o I e II Simpósio desta liga realizados em 2008 e 2009. Foi monitora das disciplinas de microbiologia e anatomia. Exerceu estágio de inserção no setor: UTI adulto, do Hospital das Clínicas de Uberlândia-HCU, 2009. Realizou estágio extra curricular no setor de Transplante Renal do HCU - UFU. Foi bolsista PIBIC/ CNPQ/ UFU 2009/ 2010.
Published
2013-09-06
How to Cite
Alves, P. R., Abreu, S. K. de, Mello, D. B., Kasai Brunswick, T. H., Cota, L. V., Chagas, D. R., Carvalho, A. B., & Resende, E. S. (2013). Isolamento, cultivo e caracterização de células derivadas de cardioesferas de camundongos CD1 . Bioscience Journal, 29(5). Retrieved from http://www.seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/21639
Section
Health Sciences